Economia

BCE recomenda prudência com as bitcoin

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, recomendou hoje prudência relativamente às criptomoedas, "porque não são apoiadas por nenhum banco central ou Governo", e afirmou que não compete ao BCE regularizar as bitcoin.

Draghi acrescentou, num vídeo publicado hoje na página eletrónica do BCE, que o 'blockchain' - também designado de protocolo da confiança (inviolável) que permite a transação com moedas virtuais -- "é uma tecnologia inovadora que pode melhorar a eficiência".

"Estamos a estudar se poderemos utilizá-la nos nossos serviços no futuro", disse.

Draghi respondia, numa entrevista em vídeo, a perguntas enviadas por jovens através das redes sociais Twitter e Facebook sobre a recuperação económica e o desemprego dos jovens na Europa, as criptomoedas e a tecnologia 'blockchain', ou a possibilidade de uma nova crise económica mundial.

O presidente do BCE confirmou que "a economia europeia registou vários anos de expansão ininterrupta e o nível de emprego é agora mais alto do que nunca".

"Devemos continuar a melhorar e assegurar que todas as pessoas beneficiem dela", salientou.

"A recente crise foi severa, mas o pior já passou. Os países europeus chegaram à crise com debilidades significativas e não conseguiram reagir adequadamente. Foram feitos progressos muito significativos em muitas áreas, o que nos faz estar mais bem preparados para o futuro", concluiu o presidente do BCE.

Lusa

  • Bitcoin condenada ao fracasso ou útil no futuro?
    12:53

    Economia

    A crise em Wall Street arrastou todos os mercados para o vermelho e a negociação de Bitcoin não saiu ilesa estando, esta terça-feira, a valer seis mil euros, menos 12 mil do que há um mês e meio atrás. João Vasconcelos esteve na Edição da Noite para falar sobre se a Bitcoin é ou não uma moeda condenada ao fracasso ou se será útil de futuro.

  • Português vende carro em bitcoins
    3:19

    Economia

    Uma das últimas mudanças que a Internet trouxe chama-se "Bitcoin", uma moeda virtual que está a ser usada para transacionar bens concretos. É o caso do negócio de um português que vendeu um automóvel em bitcoins. Tomás Monteiro só conseguiu vender o carro quando no anúncio disse estar disponível para receber este tipo de moeda. 

  • Marcelo assinala "passos importantes" na Cimeira da CPLP
    2:16
  • Manuel Pinho quer que inquérito do caso EDP seja atribuído a outros procuradores
    2:53

    País

    Manuel Pinho quer que o inquérito do caso EDP seja atribuído a outros procuradores. Numa carta enviada ao diretor do Departamento Central de Investigação e Ação Penal, a defesa do ex-ministro da Economia acusa os magistrados de imparcialidade, realçando como os procuradores do inquérito inviabilizaram as datas alternativas apresentadas pelo advogado.

  • "Os Maias" deixam de ser leitura obrigatória no secundário

    País

    Obras como "Os Maias" e "A Ilustre Casa de Ramires", de Eça de Queirós, vão deixar de ser de leitura obrigatória no ensino secundário a partir do próximo ano letivo. Os alunos deixam de ter indicação de uma obra específica para ler, passando o professor a escolher livremente uma obra de cada autor. O objetivo é fazer face aos programas extensos.

  • Santana diz que a concorrência é livre
    0:52

    País

    Santana Lopes sublinha que quer causar o menor dano possível ao PSD com a criação de um novo partido. O antigo primeiro-ministro diz no entanto que, apesar disso, a concorrência é livre. Isto depois de um estudo feito pela Eurosondagem mostrar que 4,8% dos inquiridos votaria num novo partido de Santana Lopes. O político diz que o número é inspirador, mas não adianta certezas sobre os próximos passos.

  • "Eu disse 'seria' quando queria dizer 'não seria'"
    1:34