sicnot

Perfil

Economia

Alojamento local representou 56% da oferta de camas em 2017

O número de camas oferecidas em 2017 pelo alojamento local em Portugal representou 56% do total e os hotéis os restantes 44%, segundo uma análise apresentada esta quinta-feira pela Associação de Hotelaria de Portugal (AHP).

Na apresentação do balanço do ano passado e das perspetivas do setor hoteleiro, na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), a presidente executiva da AHP, Cristina Siza Vieira, lembrou o total de 1.282 hotéis e de 54.537 registos de alojamento local em 2017.

Partindo dos registos oficiais de alojamento local, que mostram 508 'hostels', e de um número médio de camas, a AHP extrapolou que o alojamento local somou uma oferta de cerca de 23 mil camas, enquanto os hotéis registaram cerca de 18 mil, o que significou 56% e 44% do total de oferta, respetivamente.

Em 2017, abriram 45 hotéis, dos quais 18 na Área Metropolitana de Lisboa, precisou a responsável, notando que há 10 anos a oferta hoteleira, em todo o país, estava abaixo dos 700. A taxa de crescimento anual tem sido de 7%, na última década, e que as evoluções mais positivas têm ocorrido desde 2015, mas "sem fazer esquecer os anos de nevoeiro" anteriores.

Num comentário aos dados da hotelaria do ano passado, a presidente executiva da AHP, Cristina Siza Vieira, ressalvou a margem de crescimento da estada média.

"O indicador estada média, que se fixou nos 1,97 dias, encontra-se estagnado e tem claramente muita margem para crescer", sublinhou a responsável, que referiu que a estada média "quebrou entre setembro e novembro de 2017", na comparação homóloga.

Para 2018, espera-se, segundo um inquérito aos hoteleiros nacionais, um crescimento a nível da receita, enquanto a expectativa é que a estada média se mantenha, enquanto o preço deve aumentar.

Como oportunidades em termos de mercados emissores foram apontados os Estados Unidos, China e Brasil.

Para 2018, esperam-se 61 novos hotéis, dos quais "22 já estavam em 'pipeline' para abrir em 2017, mas resvalaram", e 23 remodelações, anunciou.

A responsável enumerou como "regiões com maior expressão" o Norte, com 14 aberturas, 10 das quais na cidade do Porto, e a Área Metropolitana de Lisboa, com a previsão de 29 novas unidades, com 25 a abrir portas em Lisboa.

Nesta sessão, o presidente da AHP, Raul Martins, notou que os valores positivos registados não devem significar apenas uma "fase ascendente", mas sim serem o "fogo que se precisa para construir o turismo do futuro".

O responsável reafirmou que, face à saturação do aeroporto de Lisboa, o "crescimento tem perna curta", já que uma das principais portas de entrada para os turistas estará congestionada.

Face a esse cenário, a concentração dos hoteleiros deve estar na estada média, porque "cada noite a mais é um dia adicional de investimento no país".

Por seu lado, a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, garantiu que a evolução positiva "não pode inebriar".

"Os bons resultados dão motivação para crescer de forma sustentada", afirmou a governante, que notou a afirmação do país enquanto destino turístico, lembrando a evolução de 659 para 1282 hotéis em 10 anos.

A secretária de Estado afirmou ainda a "convergência de vontades" no setor turístico, incluindo na garantia da "competitividade no transporte aéreo".

A dinamização e diversificação da oferta em todo o país, além de valorizar os funcionários, foram outros dos aspetos abordados, com Ana Mendes Godinho a recordar a abertura, na sexta-feira, da bolsa da empregabilidade na BTL, com 10 mil ofertas de emprego.

"Somos um bocadinho vítima do sucesso" do Turismo, comentou a governante, notando a falta de preparação do país para garantir recursos qualificados para a procura que tem existido.

Na sua intervenção, destacou ainda o novo portal do Turismo de Portugal para apoio às empresas, nomeadamente fornecendo informações sobre instrumentos financeiros disponíveis, obrigações legais e mercado de trabalho.

Lusa

  • Registos de alojamento local disparam, em dois anos subiram mais de 30 mil

    Economia

    A secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, informou hoje que os registos de alojamento local são atualmente 59 mil, quando em dezembro de 2015 eram 28 mil. Numa intervenção acerca do Programa Simplex +, na Bolsa de Turismo de Lisboa, a decorrer até domingo, a governante referiu a preocupação que houve em integrar os locais que "estavam fora do mercado formal", pelo que avançou a obrigação legal de as plataformas digitais terem o registo formal.

  • Turismo dispara em Portugal em 2017 
    2:40

    Economia

    Em 2017, Portugal recebeu mais de 20 milhões de turistas que registaram acima de 57 milhões de dormidas, uma subida de quase 20% face a 2016 e a maior em 20 anos. Mais de dois terços das dormidas realizaram-se em época baixa. Dados oficiais revelam esta quarta-feira que a balança turística foi superior a 10 milhões de euros. 

  • Leão de Ouro de Souto de Moura faz "muito bem à alma" dos portugueses
    1:53
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos.

  • Na linha do triunfo
    16:49
  • Chamas do incêndio no Europa Park na Alemanha atingiram os 15 metros de altura
    0:57