sicnot

Perfil

Economia

BCE deverá manter hoje as taxas de juro inalteradas

Vincent Kessler

O Banco Central Europeu (BCE) deverá deixar as taxas de juro inalteradas na reunião de esta quinta-feira, com os analistas a não esperarem mudanças quanto ao programa de compra de ativos, que termina em finais de setembro.

"Consideramos que o BCE não irá apresentar novas mudanças na política monetária", disse o economista-chefe do Montepio, Rui Serra, à Lusa, referindo que a instituição anunciou em outubro "que continuaria o seu programa de compra de ativos a um ritmo mensal de 30 mil milhões de euros por mês de janeiro a setembro de 2018".

Na sua opinião, o foco dos mercados deverá continuar a estar na conferência de imprensa do presidente do BCE, Mario Draghi, no final da reunião. "Continuamos a antecipar que o BCE irá, lentamente, repensar a sua política monetária nos próximos meses, preparando o terreno para o fim do programa de compra de dívida em setembro de 2018", acrescentou o economista, antecipando que provavelmente só em junho se saberá mais sobre este assunto.

Também Rui Bárbara, economista do Banco Carregosa, considera que, "nesta fase, o mais confortável para o BCE será não se comprometer com afirmações perentórias e empurrar para a frente qualquer anúncio". "Não estamos à espera de novidades. Haverá uma altura em que Draghi terá de clarificar o que acontece ao programa de compra de ativos: se haverá alguma extensão do programa ou se a sua retirada se fará através da redução do montante, sem mais nenhum prolongamento", afirmou o analista num comentário enviado à Lusa.

Para Rui Bárbara, nesta fase o BCE não deverá subir as taxas de juro, "o que só deverá acontecer em 2019"."As taxas de juro e o programa de compra de dívida deverão permanecer inalterados. Acredito que o foco da reunião será a forma de 'comunicação' do banco central", sustentou Eduardo Silva, gestor da corretora XTB.

Eduardo Silva lembrou que o valor da compra de dívida já foi recentemente revisto para metade (passou de 60 mil milhões de euros mensais para 30 mil milhões de euros) e "existe forte pressão para que termine até ao final do ano". "Em 2019 devemos assistir a um aumento das taxas e a normalização irá continuar a acontecer de forma gradual, desde que os dados não apresentem nenhuma surpresa", antecipou.

Na sua última reunião de política monetária, em 25 de janeiro, o BCE anunciou que as taxas de juro ficavam inalteradas, com a principal taxa de refinancimento a manter-se em 0%. A instituição confirmou ainda que vai manter a compra de dívida ao ritmo mensal de 30 mil milhões de euros "até ao final de setembro de 2018, ou mais tarde" se for necessário para impulsionar a inflação.

Hoje, o BCE divulgará novas projeções macroeconómicas para a zona euro, depois de em dezembro se ter mostrado mais otimista nas previsões de crescimento entre 2017 e 2019, mas prudente em relação à inflação.

Lusa

  • E vão quatro de Ronaldo
    1:58
  • "Ronaldos nascem na Rússia como cogumelos"
    1:49
  • Lançamento de balões no São João do Porto em risco

    País

    Lançar balões nas festas do São João do Porto pode não ser possível este ano, tudo irá depender das condições atmosféricas. A Secretaria de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural admitiu, esta quarta-feira, que está a acompanhar a situação mas que ainda nada está decidido.