Economia

Portugal colocou 1.750M€ a 6 e 12 meses a juros menos negativos

(Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters

Portugal colocou hoje 1.750 milhões de euros, montante máximo anunciado, em Bilhetes do Tesouro a 6 e 12 meses a taxas de juro negativas, mas a subirem de novo face aos anteriores leilões comparáveis.

Depois de terem atingido o mínimo de sempre em 17 de janeiro último, as taxas de juro médias dos Bilhetes do Tesouro a seis e 12 meses já tinham subido ligeiramente em 21 de março, anterior leilão comparável.

Segundo a página da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) na agência Bloomberg, a 12 meses foram colocados 1.250 milhões de euros em Bilhetes do Tesouro (BT) à taxa de juro média de -0,272%, de novo negativa mas superior às registadas em 21 de março, quando foram colocados 900 milhões de euros a -0,394%, e em 17 de janeiro, quando foram colocados 1.250 milhões de euros a uma taxa de juro média de -0,398%.

A seis meses foram colocados hoje 500 milhões de euros em BT à taxa média de -0,351%, menos negativa do que as verificadas em 21 de março, quando foram colocados 350 milhões de euros a -0,424%, e em 17 de janeiro, quando foram colocados 500 milhões de euros a -0,425%.

A procura atingiu 2.060 milhões de euros para os BT a 12 meses, 1,65 vezes superior ao montante colocado, e 865 milhões de euros para os BT a seis meses, 1,73 vezes o montante colocado.

Face aos anteriores leilões comparáveis de 21 de março, a procura desceu hoje nos dois leilões.

Num comunicado divulgado na semana passada, a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) anunciou a realização hoje de dois leilões das linhas de Bilhetes do Tesouro com maturidades em 16 de novembro de 2018 (seis meses) e em 17 de maio de 2019 (um ano) com um montante indicativo global entre 1.500 milhões e 1.750 milhões de euros.

Para o diretor da gestão de ativos do Banco Carregosa, Filipe Silva, "esta ligeira subida de taxas (e do custo do endividamento) está em linha com a subida na curva da dívida soberana europeia, tanto na dívida curta como na dívida longa".

"Mesmo assim as taxas das emissões portuguesas não são tão negativas quanto as dos nossos pares europeus, pelo que os investidores mantêm o interesse", referiu Filipe Silva, concluindo que "daí também os dados sobre a procura não terem estado mal".

Lusa

  • Anticiclone dos Açores afasta o verão de Portugal
    1:46

    País

    O verão vai continuar ameno em Portugal e, no início da próxima semana, as temperaturas máximas vão mesmo descer. Um cenário bem diferente do do norte da Europa, onde são as ondas de calor que estão a preocupar as autoridades. 

  • Ryanair prevê cancelamento de 50 voos diários em Portugal
    2:10

    Economia

    A Ryanair vai cancelar até 50 voos em Portugal durante os dois dias de greve, na próxima semana. A companhia irlandesa garante que já contactou 90% dos clientes com viagens marcadas de e para o país, que podem agora pedir o reembolso ou reagendar os voos.

  • Volta ao Mundo em Arroios
    18:46
  • Sócrates defende Pinho e critica Parlamento

    País

    José Sócrates saiu em defesa do seu antigo ministro da Economia, Manuel Pinho. Num artigo de opinião publicado no Expresso, o ex-primeiro-ministro aponta o dedo ao presidente do PSD e ao líder parlamentar do PS.

  • PP espanhol elege o líder mais jovem de sempre

    Mundo

    O novo presidente do Partido Popular (PP) espanhol, Pablo Casado, com 37 anos, é o líder mais jovem que este partido já teve na sua curta história, sendo visto por muitos como defensor da ala mais conservadora e tradicional.