sicnot

Perfil

Wikileaks

Fundador do WikiLeaks afirma que votar em Clinton é favorecer a guerra

O fundador do 'site' WikiLeaks Julian Assange manifestou-se hoje contra a candidatura de Hillary Clinton à presidência dos Estados Unidos, ao considerar que a ex-secretária de Estado defende uma "guerra estúpida e sem fim".

Julian Assange encontra-se na embaixada do Equador desde 2012.

Julian Assange encontra-se na embaixada do Equador desde 2012.

© Toby Melville / Reuters

O ativista publicou, no portal que em 2010 divulgou milhares de documentos diplomáticos secretos dos Estados Unidos, um artigo no qual garante que se Clinton chegar à Casa Branca vai fomentar conflitos "que vão propagar o terrorismo".

Hillary Clinton e Bernie Sanders são os candidatos às primárias do Partido Democrata para às eleições presidenciais norte-americanas, em novembro próximo.

"Há muitos anos que lido com Hillary Clinton e li milhares de comunicações (diplomáticas). Hillary não tem capacidade de análise e vai empurrar os Estados para conflitos infinitos", afirmou Assange, refugiado na embaixada do Equador em Londres desde 2012.

A guerra na Líbia "é o Iraque" de Clinton, que foi secretária de Estado entre 2009 e 2013.

"A guerra de Hillary avivou o terrorismo, matou dezenas de milhares de civis inocentes e fez retroceder centenas de anos os direitos das mulheres no Médio Oriente", garantiu Assange, de 44 anos, que a Suécia quer julgar por crimes sexuais.

Na passada semana, o australiano considerou "uma vitória" o parecer do grupo de trabalho sobre detenções arbitrárias da ONU, de acordo com o qual a detenção de Assange é ilegal.

Estocolmo argumentou que Assange "está voluntariamente" na embaixada do Equador e informou que vai apresentar um novo pedido para interrogar o australiano na representação diplomática em Londres.

Assange encontra-se na embaixada do Equador desde 2012, quando esse país lhe concedeu asilo, após um longo processo legal no Reino Unido, que terminou com a decisão da sua entrega às autoridades da Suécia, onde é suspeito de crimes sexuais.

Lusa

  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.