sicnot

Perfil

Wikileaks

Fundador do WikiLeaks afirma que votar em Clinton é favorecer a guerra

O fundador do 'site' WikiLeaks Julian Assange manifestou-se hoje contra a candidatura de Hillary Clinton à presidência dos Estados Unidos, ao considerar que a ex-secretária de Estado defende uma "guerra estúpida e sem fim".

Julian Assange encontra-se na embaixada do Equador desde 2012.

Julian Assange encontra-se na embaixada do Equador desde 2012.

© Toby Melville / Reuters

O ativista publicou, no portal que em 2010 divulgou milhares de documentos diplomáticos secretos dos Estados Unidos, um artigo no qual garante que se Clinton chegar à Casa Branca vai fomentar conflitos "que vão propagar o terrorismo".

Hillary Clinton e Bernie Sanders são os candidatos às primárias do Partido Democrata para às eleições presidenciais norte-americanas, em novembro próximo.

"Há muitos anos que lido com Hillary Clinton e li milhares de comunicações (diplomáticas). Hillary não tem capacidade de análise e vai empurrar os Estados para conflitos infinitos", afirmou Assange, refugiado na embaixada do Equador em Londres desde 2012.

A guerra na Líbia "é o Iraque" de Clinton, que foi secretária de Estado entre 2009 e 2013.

"A guerra de Hillary avivou o terrorismo, matou dezenas de milhares de civis inocentes e fez retroceder centenas de anos os direitos das mulheres no Médio Oriente", garantiu Assange, de 44 anos, que a Suécia quer julgar por crimes sexuais.

Na passada semana, o australiano considerou "uma vitória" o parecer do grupo de trabalho sobre detenções arbitrárias da ONU, de acordo com o qual a detenção de Assange é ilegal.

Estocolmo argumentou que Assange "está voluntariamente" na embaixada do Equador e informou que vai apresentar um novo pedido para interrogar o australiano na representação diplomática em Londres.

Assange encontra-se na embaixada do Equador desde 2012, quando esse país lhe concedeu asilo, após um longo processo legal no Reino Unido, que terminou com a decisão da sua entrega às autoridades da Suécia, onde é suspeito de crimes sexuais.

Lusa

  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.