sicnot

Perfil

Especiais

Presidente do PS condena ato "miserável" contra a "humanidade"

O presidente do PS e líder parlamentar socialista, Carlos César, enviou hoje uma mensagem ao seu homólogo socialista francês, Bruno Le Roux, condenando os atentados contra "a civilização e humanidade" na sexta-feira à noite em Paris.

© Christian Hartmann / Reuters

"Este miserável ato de terrorismo contra a França é também um ato de violência intolerável contra os supremos valores que a todos nos identificam - os valores da liberdade, igualdade e fraternidade. É um atentado contra a civilização e a humanidade", escreveu o presidente do PS e líder do Grupo Parlamentar socialista.

Na sua missiva, Carlos César manifesta as suas "sentidas condolências" e a sua "mais profunda solidariedade ao povo francês neste momento terrível e dramático".

Vários ataques registados sexta-feira à noite, em Paris, já provocaram mais de uma centena de mortos, segundo fontes policiais.

O presidente francês, François Hollande, já anunciou o estado de emergência e o encerramento das fronteiras de França na sequência do que classificou de "ataques terroristas sem precedentes" no país.

Lusa

  • "O FC Porto não merece ser campeão"
    2:23
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    O empate do FC Porto com o Feirense foi o principal assunto do Play-Off da SIC Notícias, este domingo. Rodolfo Reis mostrou-se insatisfeito com a atitude dos jogadores do FC Porto.

  • Uma volta a Portugal. De bicicleta mas sem licra

    País

    Um grupo de professores propõe-se a repetir o percurso da 1.ª Volta a Portugal em Bicicleta, 90 anos depois. Não se trata de uma corrida, pelo contrário querem provar que qualquer um o pode fazer e promover o uso da bicicleta como meio de transporte pessoal. “Dar a volta” parte para a estrada esta quarta-feira, de Lisboa a Setúbal, tal como em 26 de abril de 1927.

    Ricardo Rosa

  • Défice recua em 2016 na zona euro e na UE

    Economia

    O défice e a dívida baixaram na zona euro e na União Europeia (UE) em 2016 face a 2015, tendo Portugal registado a terceira maior dívida (130,4%) entre os Estados-membros e um défice de 2%, segundo o Eurostat.