sicnot

Perfil

O caminho mais longo para o Alasca

O caminho mais longo para o Alasca

O caminho mais longo para o Alasca

Os viajantes

Alex Bissell, João Pedro Carvalho e Fernando Vaz têm 22 anos e são amigos há mais uma década. Consideraram esta a altura certa para uma pausa antes da entrada no mercado de trabalho. Decidiram entrar juntos numa aventura: viajar pelo mundo à boleia. Os planos de viagem acabam por ser alterados, alguns desvios são feitos e, por vezes, separam-se. Porque se um quer fazer surf ou mergulho numa praia australiana, não há que impedir o outro de conhecer Myanmar ou a Ilha de Páscoa.

Fernando Vaz já tem o percurso profissional quase definido. Licenciado em Gestão, depois da viagem, segue-se um curso de piloto em Inglaterra ou Singapura. A sede de viajar foi herdada do pai que trabalha na área da aviação e, por isso, confessa ter algumas vantagens. Antes da aventura com os amigos, estudou na Nova Zelândia e conheceu a Austrália, onde fez a primeira experiência à boleia. Na grande mochila que o acompanha, além do essencial, leva a camisola do Benfica porque "da mesma maneira que não pode faltar o cruxifixo a um cristão", a camisola do Benfica não é para ficar em Portugal. Para ele a viagem deverá terminar em agosto, não sem antes comer uma focaccia em Recco, Itália.

João Pedro Carvalho é licenciado em Geografia. Sabe que quer continuar os estudos mas não tem nada definido. Até lá, prefere viver o momento. Com o orçamento mais limitado, quer prolongar a estadia nos EUA, arranjar trabalho e conhecer melhor o país. Ao contrário do amigo, não tem planos para depois da viagem. Amante de aventura, mergulho e surf, vai tendo a oportunidade de desfrutar do desporto durante a viagem. Ao longo dos últimos meses vivenciou situações que poderiam levá-lo a perder o controlo. Não aconteceu, afinal, é o mais calmo do grupo. Para ele a viagem não tem data para terminar mas o regresso a Portugal não poderá acontecer sem antes conhecer o Canadá.

Alex Bissell estuda Gestão Hoteleira em Glasgow, na Escócia. Motivado pelos amigos para embarcar na aventura, foi o pai quem mais o incentivou a conhecer o mundo antes de entrar no mercado de trabalho. Depois da viagem, vai terminar o último ano do curso e aprender mandarim. O seu objetivo passa por viver e trabalhar na China. Amante de artes marciais não tem tido a oportunidade de praticar a modalidade mas assistiu a lutas na Tailândia. "Fiquei chocado com um festival amador, que assistimos em Bangkok, onde duas crianças, com cerca de 7 anos, lutavam em vez de adultos. Via-se que estavam ali por necessidades financeiras", conta indignado. Para ele a viagem termina em agosto, não sem antes visitar o "Magic Bus", autocarro do filme "Into the Wild".

Conheça mais na página do Facebook: The Longest Way to Alaska

Bárbara Gonzalez Gomes

  • A viagem

    O caminho mais longo para o Alasca

    The Longest Way to Alaska é a viagem de três jovens portugueses. Estão juntos numa volta ao mundo e, sempre que possível, andam à boleia. Começaram em novembro, em Londres, e já passaram em 12 países. De Inglaterra ao Sri Lanka, de Myanmar ao Laos, sem esquecer a Austrália, a Nova Zelândia, os EUA e a Islândia. Têm vivido histórias surpreendentes com pessoas que, provavelmente, nunca voltarão a encontrar. Ou, quem sabe, talvez as encontrem do outro lado do mundo.

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.