sicnot

Perfil

Acidente aéreo na Colômbia

Acidente aéreo na Colômbia

Acidente aéreo na Colômbia

Quem são os jogadores da Chapecoense que não seguiram viagem

A trágica queda do avião que transportava vários elementos do plantel e da equipa técnica da Chapecoense, para além de jornalistas e outros passageiros e tripulantes, vitimou 19 jogadores. A reconstrução física e psicológica do emblema de Chapecó vai ser feita com pelo menos 11 jogadores e o espírito de união e solidariedade, singular no mundo do futebol.

Um dos sobreviventes, o guarda-redes Jackson Follman, ficou sem uma perna. Os outros dois, o lateral Alan Rushel e o central Hélio Neto, continuam também internados, em estado crítico.

Foram 11 os jogadores que não embarcaram na trágica viagem rumo a Medellín, na Colômbia. São eles os guarda-redes Nivaldo e Marcelo Boeck (ex-Sporting), os defesas Cláudio Winck, Demerson e Rafael Lima, os médios Alejandro Martinuccio, Hyoran, Moisés, Neném e Lucas Mineiro e o avançado Lourency.

O experiente guarda-redes Nivaldo, de 42 anos, está no clube de Chapecó desde 2006. Foi parte integrante da ascensão da equipa da Série D ao Brasileirão.

Marcelo Boeck, antigo guarda-redes do Marítimo e do Sporting, pediu dispensa da convocatória para poder celebrar o 32º aniversário.

O lateral-direito Cláudio Winck, de 22 anos, está emprestado pelo Internacional de Porto Alegre. O último jogo pela equipa de Chapecó foi a 3 de julho.

O central de 30 anos, Demerson, foi contratado em maio pela Chapecoense, depois de passagens pelo Coritiba e Bahia.

O também central Rafael Lima está desde 2012 na Chapecoense e chegou a ser capitão de equipa. Jogou 20 encontros e fez um golo esta temporada. Atualmente, não era opção.

Alejandro Martinuccio, médio ofensivo argentino, é um dos poucos estrangeiros da equipa. Foi vice-campeão da Taça Libertadores, pelo Peñarol, em 2011. Estava lesionado e por isso não seguiu com a equipa.

Hyoran foi, aos 23 anos, considerado uma das revelações deste Brasileirão. Chegou ao clube de Chapecó em 2013 e já foi contratado pelo campeão Palmeiras, para a próxima época. Também estava lesionado.

O médio Moisés, de 25 anos, disputou 13 partidas pela Chapecoense esta temporada.

Neném estava no emblema de Chapecó desde 2009, quando a equipa ainda estava na Série D.

O jovem médio Lucas Mineiro, de 20 anos, disputou apenas três jogos esta temporada.

Por fim, o avançado Lourency, de 20 anos, que já realizou 14 jogos pela Chapecoense esta época, com um golo apontado.

Para além destes jogadores, a Chapecoense vai também poder contar com a solidariedade de vários clubes, de diferentes partes do mundo, que se disponibilizaram para emprestar jogadores a custo zero.

Uma reconstrução difícil mas possível, que vai permitir continuar a escrever páginas de glória nos já 43 anos de história que tem a equipa de Chapecó.

Fotos Globo e Facebook

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.