sicnot

Perfil

Acidente aéreo na Colômbia

Acidente aéreo na Colômbia

Acidente aéreo na Colômbia

Bolívia culpa piloto e companhia aérea pelo acidente de avião na Colômbia

© Fredy Builes / Reuters

Uma investigação realizada na Bolívia concluiu que o piloto e a companhia aérea LaMia foram os responsáveis pelo acidente de avião que matou 71 pessoas no mês passado, incluindo jogadores da equipa brasileira de futebol Chapecoense.

"A responsabilidade direta é da empresa LaMia e do piloto", disse o ministro da Obras Públicas e Serviços Militares da Bolívia, Milton Claros.

As autoridades bolivianas chegaram a esta conclusão ao analisar uma gravação de áudio na qual o piloto sugere que a aeronave ficou sem combustível ao dizer que houve uma "falha elétrica total", e "falta de combustível".

Logo após estas declarações aeronave acabou por embater numa encosta perto da cidade colombiana de Medellín.

O governo boliviano também informou que vai processar a LaMia e seus funcionários e a controladora de tráfego aéreo Celia Castedo, que autorizou o plano de voo.

Assim, o presidente da LaMia, Gustavo Vargas Gamboa, e seu filho, Gustavo Vargas Villegas e a controladora de voo continuam a ser investigados, mas rejeitam assumir o erro.

A LaMia anunciou que fará compensações individuais no valor de 165 mil dólares (158 mil euros) para as famílias das vítimas e os únicos seis sobreviventes do acidente

Lusa

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • "É um momento histórico para a independência energética"
    1:13

    Mundo

    Esta sexta-feira Donald Trump cumpriu mais uma promessa de campanha. O presidente norte-americano ordenou a construção do oleoduto Keystone, um projeto polémico rejeitado por Barack Obama e contestado pelos ambientalistas e pelos índios Sioux.  

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.