sicnot

Perfil

Agressões em Ponte de Sor

Governo toma decisão sobre caso Ponte de Sor na próxima sexta-feira

Governo toma decisão sobre caso Ponte de Sor na próxima sexta-feira

Acabaram-se os prazos dados pelo Governo português às autoridades iraquianas para levantar a imunidade diplomática aos filhos do embaixador do Iraque. O ministro dos Negócios Estrangeiros vai decidir - a partir da próxima sexta-feira - o que fazer depois de ter recebido uma nota das autoridades iraquianas a pedir mais esclarecimentos sobre questões judiciais.

  • Marcelo reitera declarações de Augusto Santos Silva
    0:35

    Agressões em Ponte de Sor

    O presidente da república, Marcelo Rebelo de Sousa, reiterou as declarações do ministro dos Negócios Estrangeiros Augusto Santos Silva de não adiar mais o levantamento da imunidade dos dos dois filhos do embaixador iraquiano. O governo português já pediu, por duas vezes, ao Iraque, o levantamento desta imunidade, para que os jovens possam ser ouvidos em interrogatório e na qualidade de arguidos sobre as agressões a Ruben Cavaco, em agosto do ano passado. Os dois irmãos iraquianos viajaram de avião para Istambul no mês de dezembro, sem que o governo português tivesse sido informado disso.

  • MNE sem informações sobre paradeiro dos filhos do embaixador iraquiano
    2:00

    Agressões em Ponte de Sor

    O Governo português recebeu dentro do prazo previsto a resposta do Iraque sobre o pedido de levantamento da imunidade diplomática dos filhos do embaixador, implicados na agressão a um jovem, em Ponte de Sor. A resposta está a ser analisada e para esta manhã está previsto um comunicado. Entretanto, não há notícias sobre os dois filhos do embaixador iraquiano. Os gémeos deveriam ter regressado ontem a Portugal, mas o Ministério dos Negócios Estrangeiros não tem informação de que o tenham feito.

  • Governo quer reduzir gastos com papel na função pública
    1:08

    Economia

    O Governo proibiu a livre utilização das impressoras pelos funcionários públicos. O ministro das Finanças quer assim reduzir em 20% a despesa em consumo de papel e, ao mesmo tempo, minimizar a perigosidades dos resíduos produzidos com as impressoras, no Estado.