sicnot

Perfil

Agressões em Ponte de Sor

Ministro dá mais uma semana ao Iraque para novas informações

Em desenvolvimento

O ministro dos Negócios Estrangeiros anunciou hoje que vai esperar mais uma semana por uma resposta das autoridades iraquianas, sobre o levantamento da imunidade parlamentar dos filhos do embaixador em Portugal, no caso das agressões em Ponte de Sor. O Iraque adiou a decisão, pedindo resposta a "questões jurídicas".

Última atualização às 10:09

O Ministério dos Negócios Estrangeiros pronunciou-se esta manhã sobre a resposta do Iraque ao pedido de levantamento de imunidade diplomática dos filhos do embaixador em Lisboa.

A resposta de Bagdade chegou ontem ao Governo numa nota em que "aquelas autoridades suscitam questões jurídicas relacionadas com o processo de inquérito relativo aos incidentes de Ponte de Sor".

O Ministério acrescenta em comunicado que "transmitiu hoje de manhã o teor daquela nota à Procuradoria-geral da República, solicitando que, se entender pertinente, faculte eventuais elementos adicionais".

Os gémeos, implicados na agressão a um jovem em Ponte de Sor, deveriam também ter chegado ontem a Portugal. Não há no entanto informação que o tenham feito.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.