sicnot

Perfil

Airbus cai nos Alpes

Airbus cai nos Alpes

Airbus cai nos Alpes

"Vi que o avião não ia atravessar a montanha", relata testemunha

Uma testemunha que viu hoje o avião da companhia Germanwings pouco antes de se despenhar afirmou à agência noticiosa Efe disse ter ficado muito surpreendido pelo facto de o aparelho voar a baixa altitude numa zona muito montanhosa. 

© Jean-Paul Pelissier / Reuters

"Apenas estranhei o facto de que a essa altitude [o avião] não conseguiria atravessar a montanha", indicou por telefone Sébastien Giroux, responsável por uma serralharia no município de Prads-Haute-Bléone. 

O avião despenhou-se perto da localidade de Barcelonnette, na região de Digne-les-Bains, no sul de França.

Giroux disse que não viu fumo nem ouviu ruídos estranhos antes da queda do aparelho, um Airbus A320 da companhia alemã Germanwings com 150 pessoas a bordo e que efetuava a rota entre Barcelona (Catalunha, Espanha) e Düsseldorf (Alemanha). 

A testemunha referiu que não presenciou o momento exato do acidente, que ocorreu às 10:47  hora local (9:47 horas em Lisboa), e precisou que também não escutou o impacto, que ocorreu a cerca de dez quilómetros do local onde se encontrava. 

A Guarda nacional francesa (Gendarmerie), através da sua conta oficial na rede social Twitter, pediu hoje a todos os habitantes da região que não se aproximem do local do impacto, para evitar o bloqueamento das estradas e permitir o rápido acesso das equipas de resgate. 

Para além de ter ativado o plano SATER, um dispositivo específico em caso de acidente com aviões, o Executivo francês anunciou uma célula interministerial de crise que inclui os ministros do Interior, Bernard Cazeneuve, e da Ecologia, Ségolène Royal, e o secretário de Estado dos Transportes, Alain Vidalies, que ainda hoje se devem deslocar à zona. 

Previamente, Vidalies informou que o avião se despenhou numa zona montanhosa. "Despenhou-se no maciço de Estrop. É uma zona de neve, inacessível para veículos, mas que pôde ser sobrevoada por helicópteros", disse.

Segundo o responsável, "as condições meteorológicas não eram especialmente más" no momento do acidente e o aparelho não era especialmente antigo.

  • Equipa da SIC impedida de entrar na Venezuela

    País

    A SIC tinha uma equipa a caminho da Venezuela para cobrir as eleições da Assembleia Constituinte que decorrem no domingo. No entanto o jornalista Luís Garriapa e o repórter de imagem Odacir Junior foram impedidos de entrar no país. A equipa de reportagem foi barrada à chegada ao aeroporto de Caracas. Num despacho enviado à companhia aérea que os transportou, tanto o jornalista como o repórter de imagem são considerados "inadmissíveis no território da Venezuela".

  • "Fomos considerados inadmissíveis no território da Venezuela"
    4:43

    País

    O jornalista Luís Garriapa entrou em direto no Jornal da Noite, para explicar o que aconteceu esta quinta-feira, no aeroporto de Caracas. A equipa de reportagem de SIC foi impedida de entrar na Venezuela, onde ia cobrir as eleições da Assembleia Constituinte, marcadas para domingo.

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25
  • Costa alerta para "condições particularmente adversas"
    1:47

    País

    O primeiro-ministro alertou para a possibilidade de novos incêndios de grandes dimensões, muito por causa da situação de seca que grande parte do território atravessa. António Costa pediu aos portugueses um "particular cuidado com todos os comportamentos de risco".

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.