sicnot

Perfil

Airbus cai nos Alpes

Airbus cai nos Alpes

Airbus cai nos Alpes

Escolas alemã e espanhola de luto pela morte de alunos no acidente nos Alpes

A escola alemã onde estudavam e trabalhavam 18 das 150 vítimas da queda do avião da Germanwings decidiu hoje reabrir as portas. Os alunos não vão, no entanto, ter aulas normais. O dia de hoje será preenchido com sessões de acompanhamento conduzidas por psicólogos.

O grupo da Escola Joseph-Koenig frequentava o 10º ano e fazia a viagem de regresso depois de uma semana de intercâmbio em Espanha

O grupo da Escola Joseph-Koenig frequentava o 10º ano e fazia a viagem de regresso depois de uma semana de intercâmbio em Espanha

© Ina Fassbender / Reuters

Em Espanha, a escola onde os 16 jovens alemães que morreram no acidente passaram a última semana está em choque. Os estudantes estavam numa província de Barcelona ao abrigo de um programa de intercâmbio.

 

Esta manhã foi feito um minuto de silêncio para lembrar o grupo de jovens. Os colegas dizem estar muito afetados pelo acidente. Os professores já garantiram que o dia de aulas vai ser mais descontraído e que vão falar e acompanhar os alunos sobre o sucedido.

 

Na Alemanha, as aulas foram suspensas ontem, depois de se saber que 16 alunos e 2 professores morreram na tragédia. O grupo da Escola Joseph-Koenig, em Haltern, no oeste do país, frequentava o 10º ano e fazia a viagem de regresso depois de uma semana de intercâmbio em Espanha
  • Vídeo mostra passagem da carrinha a alta velocidade nas Ramblas
    0:33

    Ataque em Barcelona

    O jornal espanhol El Pais divulgou hoje  as primeiras imagens da carrinha que matou 13 pessoas e feriu mais de 100 em Barcelona. O vídeo foi registado por  uma câmara de videovigilância de um museu nas Ramblas. Mostra pessoas a desviarem antes da passagem rápida da carrinha branca. Esta terá sido a parte final do percurso feito pelo veículo.

  • Castelo Branco aposta na cultura para preservar raízes e fomentar turismo
    5:26

    SIC 25 Anos

    Com perto de 200 mil habitantes, o distrito de Castelo Branco luta para criar projetos diferenciadores para atrair e ancorar a população. O desemprego tem vindo a baixar, numa região fortemente envelhecida. A capital do distrito aposta na cultura para preservar as raízes e fomentar o turismo, e a Universidade da Beira Interior tem cada vez mais alunos estrangeiros.