sicnot

Perfil

Airbus cai nos Alpes

Airbus cai nos Alpes

Airbus cai nos Alpes

Agência Europeia de Segurança Aérea recomenda duas pessoas no cockpit

A Agência Europeia de Segurança Aérea (EASA) recomendou hoje a presença em permanência de dois membros da tripulação nos 'cockpits' dos aviões, na sequência do acidente do Airbus A320 da Germanwings. 

© Albert Gea / Reuters

Numa "recomendação temporária" divulgada no seu 'site', a agência afirma que "as companhias devem assegurar que pelo menos dois tripulantes, incluindo pelo menos um piloto qualificado, estejam no cockpit durante todo o voo".  

Para a EASA, as companhias devem "reavaliar os riscos (...) associados ao facto de um membro da tripulação abandonar o cockpit devido a necessidades operacionais ou fisiológicas".

A agência precisa que a recomendação decorre da "informação atualmente disponível" sobre "o dramático acidente do voo 4U 9525 da Germanwings" e que "pode ser revista à luz de qualquer nova informação relativa ao acidente".  

"Enquanto ainda estamos a manifestar o nosso pesar pelas vítimas, todos os nossos esforços devem centrar-se em aumentar a segurança de passageiros e tripulações", afirma o diretor-executivo da EASA, Patrick Ky, citado no texto.

A Agência Europeia de Segurança Aérea (EASA), com sede em Colónia (Alemanha), é a agência da União Europeia responsável pela regulação da aviação civil.

A análise da gravação dos sons do cockpit do avião da Germanwings que se despenou nos Alpes franceses concluiu que o piloto se ausentou do cockpit, provavelmente para usar a casa de banho, e foi impedido de voltar a entrar pelo copiloto, que bloqueou a porta.

Nesse período, o copiloto acionou deliberadamente o processo de descida do avião, ignorando as pancadas na porta, as tentativas de comunicação da torre de controlo e os alarmes do próprio aparelho.

O avião acabou por embater numa montanha, nos alpes franceses, matando todas os 144 passageiros e seis tripulantes a bordo.

Lusa
  • Governo garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo de ajuda alimentar
    1:18

    País

    O ministro da Solidariedade e Segurança Social garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo europeu de ajuda alimentar. Vieira da Silva respondeu, esta manhã, à notícia avançada pelo Jornal de Notícias que dava conta de que, este ano, o país teria desperdiçado 28 milhões de euros de um fundo europeu porque o programa ainda não está operacional. O ministro garante que o programa vai ser executado em 2017 e que este ano serviu para tomar medidas no sentido dessa implementação. Vieira da Silva assegura também que o montante disponível para o programa não foi desperdiçado e vai poder ser usado.

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01