sicnot

Perfil

Airbus cai nos Alpes

Airbus cai nos Alpes

Airbus cai nos Alpes

Identificação de vítimas do Airbus 320 divulgada dentro de dois a quatro meses

 A comissão de especialistas que está a trabalhar na identificação dos restos mortais das vítimas do Airbus A320 que se despenhou nos Alpes na passada terça-feira demorará "entre dois e quatro meses" a anunciar os resultados dos testes.

Claude Paris

"Não se divulgará nenhuma identidade até que se tenha o resultado de todas as análises, e isso demorará entre dois e quatro meses", disse à imprensa o coronel François Daoust, diretor do Instituto de Investigação Criminal da Polícia Francesa (IRCGN).

Daoust, cujo centro, nos arredores de Paris, se está a encarregar de analisar as amostras recolhidas no terreno e de compará-las com os dados facultados pelas famílias, sublinhou que os peritos não podem garantir que se vá conseguir identificar as 150 vítimas.

A primeira operação de recuperação de restos humanos na zona onde se despenhou o aparelho, nos Alpes franceses, terminará em finais desta semana, acrescentou o chefe investigador.

Nas duas próximas semanas, vão dedicar-se à recolha de pedaços de fuselagem, e as duas seguintes destinar-se-ão a investigar de novo o local, com cerca de 2,5 hectares de extensão, para localizar novos restos humanos que possam ter ficado escondidos sob esse material.

As amostras humanas permanecem no laboratório montado no terreno, que envia ao IRCGN apenas uma pequena parte de que consiga retirar-se o ADN correspondente.

Quando os especialistas do instituto dispuserem do resultado, comunicam-no aos seus companheiros no terreno, para que possam juntar num mesmo saco os restos correspondentes a essa informação.

Até agora, foi possível analisar um total de 400 amostras, com as quais se isolou 78 ADN diferentes, indicou o coronel, sublinhando que a identificação completa de cada vítima requer a comparação desses dados com os fornecidos pelos familiares.

Esse último procedimento, precisou, é demorado e difícil, porque requer que se juntem informações médicas e dentárias das vítimas, a descrição feita pela família de sinais particulares, como tatuagens ou cicatrizes, e o perfil de ADN de parentes diretos, como pais ou filhos.

Os investigadores dispõem até à data de cerca de 30 processos 'ante mortem' completos e de mais 30 aos quais faltam ainda alguns elementos, referiu Daoust, observando que "o tempo mediático não é igual ao tempo científico", pelo que se deve trabalhar de forma correta e "não ceder à urgência".



Lusa
  • "Almaraz: Uma bomba-relógio aqui ao lado"
    1:56
  • S. João do Porto sem balões
    2:36

    País

    No Porto, milhares de pessoas foram para a rua festejar o São João. Este ano houve tolerância zero no lançamento de balões, por causa do risco de incêndio. O fogo de artifício começou com mais de 15 minutos de atraso.

  • Mais de 100 detidos pela PSP e GNR nas últimas 24 horas

    País

    Só a GNR deteve 64 pessoas em flagrante delito, entre a noite de sexta-feira e o início da manhã deste sábado, a maioria das quais (47) por condução sob o efeito do álcool. A PSP de Lisboa efetuou 41 detenções em 24 horas, dez por tráfico de droga.

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.