sicnot

Perfil

Arábia Saudita-Irão

Arábia Saudita-Irão

Arábia Saudita-Irão

John Kerry pede calma à Arábia Saudita e ao Irão

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, contactou hoje os seus homólogos saudita e iraniano para apelar à diminuição do clima de tensão entre as duas potências rivais no Médio Oriente, afirmou uma fonte diplomática.

reuters

Em declarações à agência noticiosa francesa AFP, a fonte da administração norte-americana precisou que Kerry manteve conversas telefónicas distintas com o chefe da diplomacia iraniana, Mohammad Javad Zarif, e com o ministro dos Negócios Estrangeiros saudita, Adel Al-Jubeir.

"Exortámo-los à calma e ao desagravamento. A situação deve ser apaziguada", referiu a mesma fonte.

O clima de tensão entre o Irão (maioritariamente xiita) e o reino saudita (maioritariamente sunita) agravou-se com o corte de relações diplomáticas com o Irão pela Arábia Saudita e alguns dos seus aliados.

A crise foi desencadeada com a execução, no sábado, de um influente dirigente religioso xiita, o xeque Nimr Baqer al-Nimr, acusado de "terrorismo" pelas autoridades de Riade.

Perante uma crise de consequências imprevisíveis, os Estados Unidos, um dos principais aliados ocidentais da Arábia Saudita, mas que recentemente se aproximou do Irão por causa do acordo nuclear finalizado em julho, pediram, no domingo à noite, "medidas positivas para acalmar as tensões".

Segundo alguns analistas, esta crise poderá criar uma situação embaraçosa para a administração do Presidente Barack Obama, a concluir o último ano de mandato. A recente política de aproximação com a República islâmica do Irão, com a qual cortou relações diplomáticas em abril de 1980, desagradou profundamente ao aliado saudita.

Também hoje um porta-voz do secretário-geral da ONU divulgou que Ban Ki-moon manteve nas últimas horas conversas via telefone com os titulares dos Negócios Estrangeiros do Irão e da Arábia Saudita.

Segundo o porta-voz, Ban Ki-moon pediu aos representantes de Teerão e de Riade para evitarem qualquer medida que possa agravar a crise, qualificando como "deplorável" o ataque, no sábado, contra a embaixada saudita na capital iraniana.

O secretário-geral da ONU também qualificou como "profundamente preocupante" a decisão do reino saudita de cortar as relações diplomáticas com o Irão.

Lusa

  • Eurogrupo dá luz verde ao Orçamento do Estado
    0:29

    Orçamento do Estado 2017

    O Orçamento português passou no Eurogrupo mas os ministros das Finanças alertam que podem ser precisas mais medidas para cumprir as metas e em março vão voltar a olhar para as contas. Para já, estão satisfeitos com o compromisso assumido por Mário Centeno e mais sete ministros da zona euro, cujos Orçamentos estão em risco de incumprimento.

  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados".Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade. A SIC esteve em Luanda e falou com o advogado Adolfo Campos e com os músicos Carbono Casimiro, Mona Dya Kidi e David Salei. Já todos estiveram presos. Já todos foram vítimas de violência policial. Defendem que "a geração anterior comprometeu o país" e acreditam que só a mudança política pode trazer um futuro melhor. Para estes jovens activistas, a guerra que arrasou o país, e com que o regime justifica tudo, não deixou heróis, apenas "vilões e vítimas".

  • Homem e cão resgatados das águas na Andaluzia
    0:32