sicnot

Perfil

Ataque em Berlim

Hollande garante que ameaça elevada de terrorismo em França tem vigilância adequada

© Philippe Wojazer / Reuters

A França enfrenta "um nível alto de ameaça" terrorista e responde com um plano de vigilância "também particularmente elevado", afirmou hoje o Presidente francês, François Hollande, um dia depois de um atentado a um mercado de Natal em Berlim.

"Temos um nível alto de ameaça e temos um nível e um plano de mobilização e de vigilância também particularmente elevados", declarou o chefe de Estado, expressando novamente a sua solidariedade com a Alemanha.

Pelo menos 12 pessoas morreram e 48 ficaram feridas quando um camião irrompeu na segunda-feira à noite contra um mercado de Natal no centro de Berlim.

A chanceler Angela Merkel disse hoje que as autoridades alemãs acreditam que "se tratou de um ataque terrorista", aparentemente realizado por um requerente de asilo.

Em 2015 e 2016, a França foi palco de vários atentados mortíferos, entre os quais um ataque em Nice (sudeste) com um camião lançando sobre uma multidão, que comemorava o dia nacional francês e que causou 86 mortos e mais de 430 feridos.

"Quero exprimir aqui em nome da França a nossa solidariedade e compaixão em relação à Alemanha, que acaba de ser atingida por um atentado terrorista em Berlim", disse François Hollande.

Precisou que hoje à tarde expressará diretamente à chanceler Angela Merkel o seu "apoio".

"A França sabe o que representa um ataque terrorista, o que ele pode provocar de desolação e tristeza e como devemos estar unidos. Isto aplica-se a um país quando é atingido, a toda a Europa e mesmo a todo o mundo face à ameaça terrorista", sublinhou.

Hollande disse que em França já tinham sido dadas instruções para tornar seguros os locais onde se concentram pessoas, nomeadamente os mercados de Natal.

O mercado de Natal nos Campos Elíseos encontrava-se entre uma dezena de possíveis alvos visados por seis homens detidos recentemente em França, que planeavam um atentado na região parisiense no dia 01 de dezembro.

Lusa

  • UGT reivindica que salário mínimo ultrapasse os 600€
    0:26

    Economia

    O secretário-geral da UGT reivindica que até 2019 o salário mínimo nacional ultrapasse os 600 euros. Este sábado, num congresso distrital na Guarda, Carlos Silva considerou que o Governo tem condições para ir mais além e voltou a defender que para o próximo ano o patamar mínimo para a negociação deve ser os 585 euros.

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Franceses em protesto contra reformas de Macron
    1:04
  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.

  • Tony Carreira em Paris com sala cheia
    2:36

    Cultura

    O cantor Tony Carreira actuou ontem em Paris e teve sala cheia a aplaudir os temas que o tornaram conhecido há quase 30 anos. As recentes acusações de plágio não parecem afectar a popularidade do artista, que vai continuar em tournée. A Sic acompanhou o artista neste concerto.