sicnot

Perfil

Ataque em Berlim

Apesar do medo, mercados de Natal de Berlim reabrem após ataque

© Andrew Kelly / Reuters

As luzes coloridas, o cheiro do vinho quente e das amêndoas doces voltam a trazer o espírito do Natal a Berlim, com a reabertura dos mercados natalícios na capital alemã, dois dias após o ataque terrorista que matou 12 pessoas.

Apesar das músicas de Natal entoarem pelas ruas de Berlim, a investida de um camião que abalroou um mercado de Natal na noite de segunda-feira em Berlim, matando 12 pessoas e ferindo 48, é o tema de conversa entre os berlinenses.

"Claro que agora penso duas vezes antes de ir a um mercado" disse Annika à agência Lusa em Berlim, acrescentando que apesar do medo está presente.

A alemã, que partilha castanhas quentes com os colegas no famoso mercado Gendarmenmarkt, disse ter ficado "chocada" com o atentado na Breitscheidplatz e espera que a Alemanha "consiga seguir em frente".

A polícia reforçou as medidas de segurança pelos mercados de Natal da cidade, com instalação de barreiras protetoras e presença de guarda armada.

Hajnal Szolga, vendedora no mercado de Potsdamer Platz, disse sentir menos movimento no local mas acha que é uma questão de tempo até "tudo voltar ao normal".

"Eu pessoalmente sinto alguma tristeza e medo e penso nos meus colegas vendedores que testemunharam o ataque", referiu, acrescentando que "as pessoas não vão ficar em casa".

Os turistas vão passeando despreocupados pelos mercados que são um símbolo do Natal alemão.

Shirley, da Palestina, considera os mercados "imperdíveis e amorosos" e garantiu não ter receio de visitá-los, confidenciando que a família "ficou com medo".

A francesa Johanna está de visita a uma amiga na capital alemã e não esconde que as parecenças com os atentados em França são inegáveis.

"Tenho um sentimento de "déjà-vu". Faz lembrar o ataque de Paris, estamos solidários. Mas temos de perceber que não é o fim. Os terroristas querem que tenhamos medo, que fiquemos em casa mas não podemos, estamos aqui. E é Natal", disse à agência Lusa em Berlim.

Johanna ficou satisfeita por ver "que as pessoas continuam as suas vidas, não querem ficar em casa", deixando uma mensagem aos alemães: "coragem".

Durante a época do Natal, a capital alemã tem mais de 50 mercados espalhados por toda a cidade.

Na segunda-feira à noite, um camião abalroou uma multidão que se encontrava no mercado de Natal de Breitscheidplatz, na zona de Charlottenburg, na capital alemã, matando 12 pessoas e ferindo 48.

A organização extremista Estado Islâmico reivindicou a autoria do atentado.

As autoridades alemãs estão em alerta máximo, uma vez que o suspeito se encontra possivelmente armado.

Lusa

  • Há companhias aéreas a contratar. TAP é uma delas
    1:28
  • Euforia e preocupação no Santiago de Bernabéu
    3:02
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos.

  • Na linha do triunfo
    16:49