sicnot

Perfil

Ataque em Berlim

Donald Trump diz que atentado de Berlim é ataque "contra a humanidade"

© Carlos Barria / Reuters

O ataque de segunda-feira contra um mercado de Natal em Berlim, Alemanha, é um "atentado contra a humanidade", disse esta quarta-feira o Presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump.

"Terrível. O que se passou é terrível", disse Donald Trump.

Donald Trump falava aos jornalistas num clube de luxo em Palm Beach, Flórida, onde vai passar o final do ano.

"É um atentado contra a humanidade. Isso é o que é. Um ataque contra a humanidade e isso deve acabar", afirmou.

Questionado pelos jornalistas se o ataque em Berlim o levou a reavaliar o apelo feito durante a campanha eleitoral para proibir temporariamente a imigração muçulmana nos Estados Unidos, Donald Trump limitou-se a afirmar: "Ficou provado que estava certo".

Na segunda-feira, um camião irrompeu num mercado de Natal no centro de Berlim, Alemanha, provocando a morte a 12 pessoas e quase 50 feridos.

No mesmo dia, Donald Trump, numa reação na rede social Twitter, acusou o grupo extremista Estado Islâmico e outros terroristas de "matarem continuamente cristãos".

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.