sicnot

Perfil

Ataque em Berlim

Polícia alemã faz buscas mas nega detenções

© Hannibal Hanschke / Reuters

A polícia alemã nega as notícias avançada esta manhã que apontavam para a detenção de quatro pessoas relacionadas com o atentado desta segunda-feira em Berlim, que matou 12 pessoas e feriu 48. A polícia confirma apenas que houve buscas, esta noite, em dois apartamentos da capital do país. Foi entretanto revelado que foram encontradas impressões digitais do suspeito tunisino no camião.

A caça ao homem decorre em todo o país, com a participação das forças policiais dos 16 estados federais da Alemanha.

Depois de ter sido detido o homem errado, um refugiado paquistanês que acabou por ser ilibado, a polícia alemã emitiu um novo mandado de busca em nome de um tunisino de 24 anos. E oferece uma recompensa de 100 mil euros por informações que levem à detenção do suspeito.

Este homem está na Alemanha desde 2015 e terá tido o visto rejeitado recentemente.
Daí que a polícia tenha feito buscas num albergue para requerentes de asilo, onde se acredita que o suspeito terá vivido.

  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marcelo diz que é hora de valorizar o poder local
    0:40

    País

    O Presidente da República diz que este é o momento para valorizar o poder local. Sobre a descida da Taxa Social Única, Marcelo Rebelo de Sousa recusou comentar e negou que haja crispação politica entre Governo e oposição.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.