sicnot

Perfil

Ataque em Berlim

PM francês desvaloriza críticas acerca da circulação do autor do atentado de Berlim

Markus Schreiber / AP

O primeiro-ministro francês defendeu-se hoje das críticas acerca da facilidade com que o autor do atentado de Berlim viajou por vários países, afirmando que o seu país fez 81 milhões de controlos em 13 meses e meio.

Numa entrevista publicada hoje no "Jornal de Domingo", Bernard Cazeneuve disse ainda que fazer controlos sistemáticos "paralisaria a Europa".

O chefe do Governo francês frisou ainda que o restabelecimento dos controles nas fronteiras, que França decidiu depois dos atentados jihadistas de 13 de novembro de 2015, em Paris, "nunca foi o encerramento das fronteiras".

Além disso, ressalvou que "controlar cada pessoa que passa é completamente impossível".

"É uma verdade que tem de se dizer" porque se se for supervisionar cada veículo "isso paralisará a Europa, as suas infraestruturas de transporte, as suas atividades económicas", afirmou.

O primeiro-ministro francês não quis entrar naquilo que classificou de "polémicas estéreis" sobre o percurso de Anis Amri por vários países europeus -- incluindo França -- desde que cometeu o atentado com um camião num mercado de Natal em Berlim, a 19 de dezembro, até que foi abatido pela polícia italiana em Milão, argumentando que não se sabe em detalhe os meios de utilizou.

O governante avisou que a "questão do terrorismo vai permanecer durante muitos anos".

"Se cada vez que há um atentado houver um enfraquecimento político, vai acabar-se por fazer crer aos franceses que o Estado não está plenamente mobilizado para lutar contra a barbárie", disse.

Lusa

  • Há companhias aéreas a contratar. TAP é uma delas
    1:28
  • Leão de Ouro de Souto de Moura faz "muito bem à alma" dos portugueses
    1:53
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos.

  • Na linha do triunfo
    16:49
  • Chamas do incêndio no Europa Park na Alemanha atingiram os 15 metros de altura
    0:57