Ataque em Manchester

Como um telemóvel salvou uma vida em Manchester

facebook.com/lisa.bridgett.3

Lisa Bridgett estava ao telefone à saída do concerto de Ariana Grande quando a bomba explodiu. Um estilhaço de metal foi projetado na sua direção e só não a matou graças ao aparelho colado ao ouvido.

O estilhaço arrancou um dos seus dedos e ainda atravessou o telemóvel e a bochecha acabando alojado no nariz. Mas a trajetória foi assim desacelerada, o que impediu que a matasse.

O marido Steve Bridgett publicou as fotos do aparelho no Facebook, dando conta do estado de saúde de Lisa.

Lisa tinha ido ao concerto na Manchester Arena com a filha e uma amiga da filha. Todas as três sobreviveram.

Mas outras 22 pessoas morreram e 75 ficaram feridas, 23 em estado grave.