sicnot

Perfil

Ataque em Munique

Ataque em Munique

Ataque em Munique

Polícia admite que um dos atacantes possa estar entre os mortos

© Michael Dalder / Reuters

A polícia de Munique, estado da Baviera, afirmou que está a verificar a possibilidade de uma das pessoas mortas no ataque ser um dos atacantes.

"Há também um suicida. Estamos a verificar a cumplicidade", escreveu a polícia de Munique, na sua conta do Twitter.

A polícia de Munique colocou em "alerta terrorista elevado" a cidade alemã, na sequência do tiroteio num centro comercial, que provocou oito mortos. A polícia refere que não há indícios que se trate de um ato de extremismo islâmico.

Os autores do ataque, três homens armados, ainda se encontram em fuga.

A gare de Munique foi evacuada e os serviços de metro, autocarro e comboio foram suspensos por ordem da polícia.

Há uma semana, um jovem atacou com um machado e uma faca vários passageiros de um comboio regional na mesma região.

Lusa

  • Vídeo mostra suspeito de tiroteio em Munique a gritar que é alemão

    Mundo

    Um vídeo amador mostra um dos suspeitos do tiroteio em Munique que se escondeu num parque de estacionamento. O homem grita "sou alemão" e "seus malditos turcos". Tudo começou volta das 17:00, em Lisboa, com uma chamada de emergência que dava conta que um homem tinha começado a disparar no centro comercial Olympia, presumivelmente num restaurante de fast food. A polícia da cidade pediu aos habitantes para permanecerem em casa ao mesmo tempo que suspendia o serviço em vários meios de transporte. Na rede social twitter, a polícia admite que não sabe quem são os autores deste tiroteio, fala no plural, pedindo à população para ficar em casa e se estiver na rua para ter cuidado.

  • Oceanário de Lisboa dá formação sobre impacto da acumulação de plásticos nos oceanos
    2:37
  • Trump e Netanyahu discutiram "ameaças que o Irão coloca"

    Mundo

    O novo Presidente norte-americano, Donald Trump, e o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, debateram "as ameaças que o Irão coloca" e concordaram que a paz israelo-palestiniana só pode ser "negociada diretamente", anunciou este domingo a Casa Branca.