sicnot

Perfil

Ataque em Munique

Ataque em Munique

Ataque em Munique

Presidente alemão "horrorizado" com "ataque assassino"

O Presidente alemão, Joachim Gauck, mostrou-se "horrorizado" com o "ataque assassino" em Munique, que causou a morte de pelo menos nove pessoas.

"Eu estou ao lado das vítimas nos meus pensamentos e com todos os que estão de luto ou com receio em relação a entes queridos", afirmou Gauck em comunicado.

Na declaração, o chefe de estado manifestou também "solidariedade" para com os serviços de emergência que estão a tentar "proteger pessoas e salvar vidas".

O ministro do Interior, Thomas de Maiziere, que estava num voo para Nova Iorque irá voltar de imediato à Alemanha para acompanhar as operações de perseguição aos três suspeitos, anunciou entretanto o governo alemão.

A polícia de Munique colocou em "alerta terrorista elevado" a cidade alemã, na sequência do tiroteio num centro comercial que terá vitimado pelo menos oito pessoas, abatidas por três homens armados que se encontram em fuga.

A gare de Munique foi evacuada e os serviços de metro, autocarro e trens foram suspensos por ordem da polícia.

Com Lusa

  • Português estava a 500 metros do centro comercial de Munique
    3:39

    Mundo

    José Passinha é português e reside em Munique. No momento do tiroteio no centro comercial, o português estava num restaurante a cerca de 500 metros do local. José Passinha descreve o cenário que se vive em Munique e diz que um dos atiradores "não parece alemão".

  • Barack Obama transmite o seu apoio à Alemanha

    Mundo

    Barack Obama transmitiu apoio à Alemanha no seguimento do tiroteio que ocorreu em Munique, causando pelo menos seis mortos, enquanto fonte oficial dizia que as autoridades já estão a trabalhar para perceber se há cidadãos norte-americanos envolvidos.

  • Vídeo mostra suspeito de tiroteio em Munique a gritar que é alemão

    Mundo

    Um vídeo amador mostra um dos suspeitos do tiroteio em Munique que se escondeu num parque de estacionamento. O homem grita "sou alemão" e "seus malditos turcos". Tudo começou volta das 17:00, em Lisboa, com uma chamada de emergência que dava conta que um homem tinha começado a disparar no centro comercial Olympia, presumivelmente num restaurante de fast food. A polícia da cidade pediu aos habitantes para permanecerem em casa ao mesmo tempo que suspendia o serviço em vários meios de transporte. Na rede social twitter, a polícia admite que não sabe quem são os autores deste tiroteio, fala no plural, pedindo à população para ficar em casa e se estiver na rua para ter cuidado.

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.