sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

União Europeia "profundamente chocada" com ataques em Paris

Os presidentes do Conselho Europeu, Donald Tusk, da Comissão Europeia, Jean-Claude Junker, e do Parlamento Europeu, Martin Schulz, afirmaram hoje estar profundamente horrorizados com os ataques de Paris, que provocaram pelo menos 40 mortos.

© Philippe Wojazer / Reuters

"Estou horrorizado com os acontecimentos de Paris. Toda a minha solidariedade e condolências com os franceses e as autoridades francesas", escreveu Tusk na sua conta no Twitter.

Jean-Claude Junker afirmou estar "profundamente horrorizado" com os acontecimentos e expressou solidariedade com o povo francês.

"Terríveis notícias chegam de Paris. Os nossos pensamentos estão com as famílias das vítimas e o nosso apoio com as autoridades", indicou também no Twitter Martin Schulz.

Vários tiroteios no centro de Paris e três explosões junto ao Estádio de França, que autoridades pensam ter sido ataques suicidas, provocaram pelo menos 40 mortos e 50 feridos em estado crítico.

Lusa

  • ANACOM apresenta recomendações para melhorar redes de telecomunicações
    1:17

    País

    A ANACOM entregou um conjunto de recomendações ao Governo, Parlamento, municípios e operadores de telecomunicações. A autoridade reguladora em Portugal das comunicações eletrónicas propõe que os cabos aéreos de telecomunicações sejam substituídos por cabos subterrâneos, entre outras coisas. O objetivo é impedir que as redes fiquem em baixo perante incêndios ou outras catástrofes.

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.

  • Atividade económica regista crescimento

    Economia

    A atividade económica portuguesa está a crescer ao maior ritmo dos últimos 17 anos. O crescimento registado em setembro é o mais elevado desde janeiro de 2000. Já o consumo privado registou uma diminuição face a agosto.

    SIC