sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Partido Livre solidariza-se com "concidadãos europeus de Paris"

Dirigentes do partido Livre expressaram hoje solidariedade para com os "concidadãos europeus de Paris", em virtude dos atentados verificados na capital francesa, através da página oficial na rede social Facebook.

© Philippe Wojazer / Reuters

"Contra o terror: solidariedade, defesa dos direitos humanos e dos valores universais. O Livre está com os nossos concidadãos europeus de Paris", lê-se na breve nota do partido, que comemora hoje dois anos desde a sua formação, terminando com o lema da Revolução Francesa: "Liberdade, Igualdade, Fraternidade".

Vários ataques terroristas foram registados na noite de sexta-feira, em Paris, e provocaram a morte a, pelo menos, 100 pessoas, segundo fontes policiais.

O presidente francês, François Hollande, já anunciou o estado de emergência e o encerramento das fronteiras de França na sequência do que classificou de "ataques terroristas sem precedentes" no país.

O Partido Livre é dirigido, entre outros, pelo historiador e ex-deputado europeu independente pelo Bloco de Esquerda Rui Tavares.

Lusa

  • Bruno de Carvalho e Octávio Machado suspensos

    Desporto

    O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, e o diretor-geral para o futebol, Octávio Machado, foram esta terça-feira suspensos pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, na sequência de uma queixa apresentada pelo Benfica em novembro de 2015.

  • Corredora exausta é levada ao colo até à meta na meia maratona do amor
    1:06

    Mundo

    Aconteceu este domingo em Filadélfia, EUA. A poucos metros da meta uma corredora exausta é amparada por dois colegas. Mas o cansaço é tanto que fica sem força nas pernas. É quando aparece a terceira ajuda. Um homem volta para trás e leva-a no colo até à meta. A centímetros do fim larga-a para que a corredora possa atravessar a meta pelo seu próprio pé.

    Patrícia Almeida

  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho