sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Eagles of Death Metal cancelam digressão que terminaria em Lisboa

A banda norte-americana Eagles of Death Metal, que tocou na sexta-feira à noite na sala de espetáculos de Paris atacada por terroristas, cancelou a digressão europeia que terminaria em dezembro em Lisboa, foi este sábado anunciado.

Originária de Palm Street, sul da Califórnia, a banda tem dois elementos principais (Jesse Hughes, 43 anos, e Josh Homme, 42 anos), que são conhecidos pelo seu humor e pelo espírito "sexo, drogas e rock and rol". (Arquivo)

Originária de Palm Street, sul da Califórnia, a banda tem dois elementos principais (Jesse Hughes, 43 anos, e Josh Homme, 42 anos), que são conhecidos pelo seu humor e pelo espírito "sexo, drogas e rock and rol". (Arquivo)

Barry Brecheisen / AP

Os elementos da banda sobreviveram todos ao ataque, sem qualquer ferimento. No entanto, de acordo com a revista norte-americana Rolling Stone, o responsável pela venda de 'merchandising' da banda foi um dos mortos do ataque armado à sala de espetáculos Bataclan.

A banda decidiu encurtar a digressão europeia que deveria terminar a 10 de dezembro no Armazém F, em Lisboa. "Eles vão regressar [aos Estados Unidos da América]", provavelmente na segunda-feira, disse à Agência France-Presse um dos responsáveis pela promotora Nous Productions.

Originária de Palm Street, sul da Califórnia, a banda e tem dois elementos principais (Jesse Hughes, 43 anos, e Josh Homme, 42 anos), que são conhecidos pelo seu humor e pelo espírito "sexo, drogas e rock and rol".

Os Deftones, outra banda norte-americana também originária da Califórnia, cujos elementos estiveram na sexta-feira no Bataclan, também "irão regressar a casa".

A banda tinha concertos marcados na sala onde decorreu o ataque para hoje, domingo e segunda-feira. Os espetáculos foram cancelados.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.