sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Estado de emergência foi criado com a guerra da Argélia

O estado de emergência, decretado pelo Presidente francês após os atentados terroristas de sexta-feira em Paris, é um procedimento raríssimo instaurado em 1955, no começo da guerra da independência da Argélia.

O estado de emergência é um procedimento raríssimo, instaurado em 1955, no começo da guerra da independência da Argélia.

O estado de emergência é um procedimento raríssimo, instaurado em 1955, no começo da guerra da independência da Argélia.

Paillardin / AP

Este instrumento foi reutilizado depois, aquando dos incidentes nos subúrbios da capital francesa, em 2005, que obrigaram à intervenção das forças militares.

O estado de urgência permite às autoridades "interditar a circulação de pessoas ou veículos" e instituir "zonas de proteção ou de segurança onde a permanência das pessoas está regulamentada".

É um instrumento que possibilita também às autoridades proibir a permanência numa determinada zona geográfica de "todas as pessoas que tentem obstaculizar, de qualquer forma, a ação dos poderes públicos", segundo a lei criada em 1955.

O Presidente francês, François Hollande, anunciou o "encerramento das fronteiras", tendo o Ministério dos Negócios Estrangeiros precisado em seguida que "os controlos serão efetuados nos pontos de passagem automóveis, ferroviários, marítimos e aeroportuários".

"Os aeroportos continuam a funcionar. As ligações aéreas e ferroviárias serão asseguradas", acrescentou o Quai d'Orsay, Ministério dos Negócios Estrangeiros.

O estado de emergência permite também ao ministro do Interior confinar a residência a toda a pessoa "cuja atividade se revele perigoso para a segurança e ordem públicas".

As autoridades podem também ordenar o encerramento provisório "das salas de espetáculos, bares e locais de reunião de toda a natureza", além de proibirem "as reuniões que possam provocar ou alimentar a desordem".

Podem ainda "ordenar a entrega das armas aos seus proprietários".

O decreto que instaurou o estado de emergência abre a possibilidade de "inspeções ao domicílio de dia e de noite", bem como "medidas para assegurar o controlo da imprensa" e dos outros media.

Na sequência dos atentados em série em Paris, que fizeram pelo menos 120 mortos, as autoridades anunciaram também o fecho de todos os estabelecimentos escolares da região parisiense durante o dia de hoje e a anulação de todas as visitas escolares em França no fim de semana.

O estado de emergência é declarado por um decreto do Conselho de Ministros.

A sua prorrogação para lá de 12 dias só pode ser autorizada por uma lei, votada no parlamento. A lei que autoriza o prolongamento do estado de urgência fixa a sua duração definitiva.

Várias vezes adotado durante a guerra da Argélia, o estado de emergência só foi decretado duas vezes depois: em 1985, na Nova Caledónia, no âmbito de confrontos que assolaram o arquipélago, e em 2005, na sequência de conflitos nos subúrbios da capital francesa.

Lusa

  • Bruno de Carvalho manda SMS aos jogadores em nome dos jogadores. Confuso?

    Desporto

    De acordo com a imprensa desta manhã, o presidente do Sporting Clube de Portugal terá enviado mensagens escritas aos jogadores com o seguinte texto "Obrigado presidente pelas felicitações. Ainda temos muito para conquistar juntos" e assinou com o nome do jogador a quem enviou a mensagem. Uma aparente reação ao facto de nenhum dos jogadores ter respondido às mensagens escritas por Bruno de Carvalho, com incentivos e elogios antes e depois da vitória do Sporting frente ao Boavista.

  • Marcelo já sabia da substituição do embaixador de Angola
    4:00

    País

    O Presidente da República sabia há bastante tempo da substituição do embaixador de Angola em Lisboa e já tinha aprovado o nome do futuro representante de Luanda. A revelação foi feita, esta terça-feira, por Marcelo Rebelo de Sousa, numa conversa exclusiva com a SIC no Palácio de Belém. O Presidente contou ainda que não vai enviar recados ao Governo nem aos partidos no discurso de 25 abril que vai fazer na Assembleia da República.

    Exclusivo SIC

  • Chegaram os brinquedos de cartão para a consola
    6:24
  • Governo promete melhorar condições de 26 mil famílias
    1:23

    País

    O ministro do Ambiente explicou esta terça-feira, no Parlamento, as novas medidas para a habitação: reduzir os impostos para arrendamentos longos, melhorar as condições de 26 mil famílias e introduzir o arrendamento vitalício para maiores de 65 anos. Este é um investimento que vai chegar aos 1700 milhões de euros.

  • Pato em excesso de velocidade faz disparar radar numa estrada suíça
    1:31
  • O vestido de noiva de Megan Markle
    1:17