sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

MAI garante que Portugal "está atento à evolução dos acontecimentos"

O ministro português da Administração Interna (MAI) declarou este sábado à agência Lusa que Portugal está "atento à evolução das circunstâncias e dos acontecimentos" em Paris, mas que está "tudo calmo" e "tranquilo" no território nacional.

© Benoit Tessier / Reuters

Contactado pela Lusa já na madrugada de hoje, Calvão da Silva adiantou que, após o sucedido na França, já dialogou com o ministro de Estado dos Negócios Estrangeiros (MNE) português, Rui Machete, e com o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, aproveitando para transmitir uma mensagem de segurança no sentido de que está "tudo calmo e tranquilo em Portugal".

O ministro salientou que os portugueses "podem confiar nas forças preventivas, de segurança e de informação" e que Portugal "está atento à evolução das circunstâncias e dos acontecimentos" ocorridos em Paris.

Pelo menos 140 pessoas morreram na sexta-feira em vários ataques terroristas em Paris, cerca de cem destas numa sala de espetáculos onde decorria um concerto de uma banda norte-americana.

Calvão da Silva assegurou que existe o "máximo grau de atenção" ao fenómeno terrorista, escusando-se a adiantar se Portugal continua a ser um país onde é baixo o risco de ataques.

Lusa

  • PSD e CDS assinalam 36º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro
    1:38

    País

    O presidente do PSD deixou críticas ao Partido Comunista, este domingo, a propósito do aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro. Pedro Passos Coelho lembrou os festejos dos comunistas na altura, numa resposta a quem questionou a abstenção dos sociais-democratas ao voto de pesar a Fidel Castro, que o PCP levou ao Parlamento. Este domingo, tanto o PSD como o CDS-PP prestaram homenagem a Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa.