sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Madrid condena "de forma enérgica" os "abomináveis atentados terroristas"

O Governo espanhol condenou "da forma mais inequívoca e enérgica" o que descreve como "abomináveis ataques terroristas" ocorridos hoje em Paris, esperando que os seus responsáveis respondam pelos crimes o quanto antes.

© Christian Hartmann / Reuters

"A Espanha recebeu com profunda consternação as notícias dos abomináveis atentados terroristas e, aparentemente, uma tomada de reféns perpetrados hoje em vários pontos de Paris, que custaram a vida a dezenas de pessoas e numerosos feridos", indicou o executivo espanhol num comunicado oficial.

O governo espanhol condenou ainda "da maneira mais inequívoca e enérgica estes acontecimentos vis", manifestando o desejo de que "os seus responsáveis respondam o quanto antes por estes crimes perante a Justiça".

Em nome do povo espanhol, o executivo de Mariano Rajoy transmitiu " as suas mais sentidas condolências" aos familiares das vítimas, às autoridades e a todo o povo francês.

"Hoje, mais do que nunca, reiteramos a nossa repulsa categórica perante qualquer tipo de ato terrorista e transmitimos ao Governo e ao povo de França a nossa solidariedade: estamos todos unidos contra o terror, hoje todos somos Paris", concluiu o Governo espanhol na mesma nota.

Vários ataques foram hoje à noite registados em Paris, provocando a morte a pelo menos 40 pessoas e 50 feridos em estado crítico.

Lusa

  • Encontradas 120 botijas de gás para "um ou vários atentados"
  • Negligência é a principal causa dos incêndios
    1:32

    País

    A Polícia Judiciária deteve mais dois suspeitos de fogo posto este fim de semana. Ao todo já foram detidas pelo menos 99 pessoas pelas autoridades desde o início do ano, a maioria suspeitas de agirem intencionalmente. Mas desde 1 de janeiro até meados deste mês, dos 8 mil incêndios investigados pela GNR, mais de 3.300 tiveram causa negligente. 

  • Nicolás Maduro quer convocar "cimeira mundial de solidariedade"

    Mundo

    O Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, reiterou este sábado que convocará uma "cimeira mundial de solidariedade" com o país, que permita atenuar a "campanha criminosa" que considera existir contra a Venezuela, cujo Governo está cada vez mais isolado internacionalmente.

  • Concentração de motos em Góis
    2:28

    País

    Durante este fim de semana, decorre uma das concentrações de motards mais concorridas do país. A organização esperava cerca de 20 mil visitantes em Góis.