sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Renzi solidariza-se com França e convoca reunião de segurança

O primeiro-ministro italiano manifestou na sexta-feira a sua "solidariedade" com os seus "irmãos franceses", depois dos atentados de Paris que fizeram mais de uma centena de mortos, e convocou para hoje uma reunião do Comité Nacional de Segurança.

ETIENNE LAURENT

A Itália está "junta com os seus irmãos franceses contra o atroz atentado em Paris e na Europa", reagiu Matteo Renzi, em mensagem colocada na sua conta na rede social Twitter.

"A Europa, atacada no coração, saberá reagir à barbárie", acrescentou o primeiro-ministro, citado pela agência noticiosa AGI, que especifica que Renzi, que está a acompanhar os acontecimentos, exprimiu a "solidariedade" de Itália ao Presidente francês, François Hollande.

Por seu lado, o ministro do Interior italiano, Angelino Alfano, anunciou que "o comité nacional para a ordem e a segurança nacional foi convocado para as 09:30 da manhã de sábado".

Os riscos de atentado em Itália são evocados regularmente em Itália desde que o grupo que se designa por Estado Islâmico anunciou que o Vaticano é um dos seus alvos e quando se prepara em Roma um jubileu anunciado pelo papa, que deve começar em 08 de dezembro.

Vários ataques registados na sexta-feira à noite, em Paris, provocaram pelo menos 110 mortos e pelo menos 500 pessoas ficaram feridas, segundo fontes policiais.

O presidente francês, François Hollande, já anunciou o estado de emergência e o encerramento das fronteiras de França na sequência do que classificou de "ataques terroristas sem precedentes" no país. A segurança nas ruas da cidade foi reforçada com 1.500 soldados.

Lusa

  • "Joguem à bola"
    1:35

    Desporto

    Cerca de uma centena de adeptos do Sporting esperaram até perto das 3:00 pela chegada da equipa ao estádio de Alvalade. Depois da eliminação da Taça de Portugal, em Chaves, foi necessário o reforço policial para garantir a segurança da comitiva leonina.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Putin sai em defesa de Trump
    2:29

    Mundo

    Vladimir Putin já saiu em defesa de Donald Trump e diz que houve uma tentativa de minar o Presidente eleito dos Estados Unidos, através de um alegado relatório, atribuido à espionagem russa. Putin diz que o relatório é falso.