sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

UE "profundamente chocada e em luto"

A União Europeia (UE) "está profundamente chocada e em luto", devido aos ataques terroristas em Paris, e sugeriu o cumprimento de um minuto de silêncio, ao meio-dia de segunda-feira, em memória dos mortos de sexta-feira à noite.

© Baz Ratner / Reuters

"Foram ataques contra todos nós", lê-se numa declaração dos chefes de Estado e do Governo da UE, que garantiram que vão "enfrentar a ameaça em conjunto", com "todos os meios necessários" e uma "determinação inabalável".

"Nós, os europeus, vamos lembrar o dia 13 de novembro de 2015 como um dia de luto europeu. Todos os europeus estão convidados a juntar-se a um minuto de silêncio, em memória das vítimas, ao meio-dia de segunda-feira, dia 16 de novembro", lê-se na declaração conjunta.

Os líderes do espaço comunitário referiram como a França é uma "grande e forte nação" e que os seus valores de liberdade, igualdade e fraternidade "inspiraram e continuam a inspirar a UE".

"Hoje estamos unidos com o povo e o governo franceses. Este ato terrorista desprezível teve o resultado inverso do seu objetivo que era dividir para semear o medo e o ódio", segundo o mesmo comunicado.

O grupo extremista Estado Islâmico (EI) reivindicou hoje, em comunicado, os atentados de sexta-feira em Paris, que causaram pelo menos 128 mortos, entre os quais um português, e 300 feridos, 80 em estado grave.

Oito terroristas, sete deles suicidas, que usaram cintos com explosivos para levar a cabo os atentados, morreram, segundo fontes policiais francesas.

Os ataques ocorreram em, pelo menos, seis locais diferentes da cidade, entre eles uma sala de espetáculos e o Stade de France, onde decorria um jogo de futebol entre as seleções de França e da Alemanha.

A França decretou o estado de emergência e restabeleceu o controlo de fronteiras na sequência daquilo que o Presidente François Hollande classificou como "ataques terroristas sem precedentes no país".

Lusa

  • Negócios do fogo
    22:00
  • "Não podemos gastar o dinheiro e depois os filhos e os netos é que pagam"
    2:05

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no habitual espaço de comentário no Jornal da Noite, o reembolso antecipado ao FMI. O comentador da SIC defendeu que seria mais vantajoso se Portugal reembolsasse mais depressa, antes da subida das taxas de juro. Miguel Sousa Tavares considerou ainda que o reembolso da dívida é uma boa notícia, pois seria "desleal" deixar a dívida para "os filhos e os netos" pagarem.

    Miguel Sousa Tavares

  • Os efeitos da tempestade Ana em Portugal
    1:43
  • Porque têm as tempestades nomes?
    0:49

    País

    As tempestades passaram a ter um nome, partilhado pelos serviços de meteorologia de Portugal, França e Espanha. Nuno Moreira, chefe de divisão de previsão meteorológica do IPMA, foi convidado da Edição da Noite da SIC Notícias para explicar que este método é também uma forma de sinalizar a dimensão das tempestades.

  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59

    Mundo

    A tempestade Ana não causou apenas estragos em Portugal, mas também na Galiza, com a queda de árvores e cheias nas zonas ribeirinhas. No norte da Europa, as baixas temperaturas provocaram fortes nevões e paralisaram a Grã-Bretanha, com voos cancelados, escolas fechadas e estradas cortadas.

  • "De repente ele estava em cima de mim a beijar-me e a apalpar-me"
    2:43