sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

EUA mantém plano de acolher 10 mil refugiados sírios

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, mantém o plano de acolher 10 mil refugiados sírios no país em 2016 apesar dos ataques terroristas perpetrados na sexta-feira em Paris, assegurou este domingo um assessor.

Vários candidatos da oposição republicana criticaram o Governo de Obama por permitir a chegada de refugiados que fogem da guerra na Síria.

Vários candidatos da oposição republicana criticaram o Governo de Obama por permitir a chegada de refugiados que fogem da guerra na Síria.

© Michaela Rehle / Reuters

"Mantemos o plano de aceitar os refugiados sírios", afirmou o assessor adjunto do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, Ben Rhodes, em declarações à cadeia de televisão norte-americana Fox News.

Rhodes acrescentou que os Estados Unidos dispõem de "procedimentos de seleção muito rigorosos para esses refugiados"

"Há mulheres e crianças, órfãos desta guerra na Síria, e creio que temos de contribuir, junto dos nossos aliados, para dar-lhes refúgio", justificou.

Segundo os media, um dos suspeitos dos ataques em Paris - que causaram 129 mortos e 352 feridos - poderá ter chegado à capital depois de ter atravessa a Sérvia e a Croácia como refugiado.

Vários candidatos da oposição republicana criticaram o Governo de Obama por permitir a chegada de refugiados que fogem da guerra na Síria.

O magnata Donald Trump, que está na corrida para a candidatura presidencial republicana, também advertiu que expulsará os refugiados sírios do país, caso chegue à Casa Branca.

A 10 de setembro, o Presidente Obama ordenou ao seu Governo que inicie os preparativos para poder acolher pelo menos 10 mil refugiados sírios durante o novo ano fiscal, que começou a 1 de outubro e termina a 30 de setembro de 2016.

Esta decisão visa ajudar a atenuar a crise migratória de refugiados que a Europa enfrenta atualmente.

Lusa

  • Governo prepara projeto para suavizar transição para a reforma
    1:38

    Economia

    O Governo quer suavizar a transição do trabalho para a reforma. A ideia é que essa passagem seja feita gradualmente e não de um dia para o outro, o que pode ser mais traumático. O projeto prevê a possilidade de o trabalhador cumprir meio horário e acumular com meia pensão.

  • Portugal pode perder parte dos fundos comunitários
    2:21

    Economia

    Portugal arrisca-se a perder parte dos fundos comunitários atribuídos ao país, se não acelerar a execução dos programas que têm comparticipação de Bruxelas. A notícia é avançada pelo jornal Público, que revela que o país ainda está longe de cumprir as metas mínimas. O Executivo desdramatiza e acredita que serão cumpridas até ao final do ano. O Governo diz mesmo que Portugal deverá ser um dos países com melhores taxas de execução.

  • Proteína tóxica que se acumula no cérebro pode ser uma das causas do Alzheimer
    2:33

    País

    Uma proteína tóxica que se acumula no cérebro pode ser uma das causadoras do Alzheimer. A revelação, feita pelo prémio Nobel da Medicina de 2014, será discutida no terceiro dia da cimeira mundial sobre doenças neurodegenerativas na Fundação Champalimaud, em Lisboa. A partir de hoje, serão apresentadas novidade nas investigações científicas sobre a epidemia silenciosa, que atinge 50 milhões de pessoas em todo o mundo.

  • Primeiro discurso de Costa na ONU alinhado com o de Guterres

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, proferirá hoje o seu primeiro discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas, devendo estar muito alinhado com a agenda política apresentada na terça-feira pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, valorizando o multilateralismo.