sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Espanhol desmente a própria morte através do Facebook

Quando o espanhol Alberto Pardo, de 33 anos, se ligou à Internet no domingo 15 de novembro leu a notícia da sua morte. No mural do seu Facebook tinha várias mensagens de condolências: "Serás sempre recordado, Alberto", "Descansa em paz".

Alberto Pardo

Alberto Pardo

Facebook / El País

Percebeu então que o seu nome constava da lista de mortos nos ataques terroristas de sexta-feira em Paris, leu no jornal El País. Mas Alberto Pardo esteve em Estrasburgo todo o fim-de-semana, um mal entendido levou as autoridades francesas a declarar a sua morte no ataque ao Bataclan.

Alberto escreveu então no Facebook a notícia a desmentir a própria morte: "Pois não sei... Eu estou a ver-me a mim mesmo por isso diria que estou vivo... Mas se continuam a escrever coisas tão bonitas sobre mim talvez tenha de morrer para não vos deixar ficar mal... Além disso, se foi o El País que disse tem que estar correto", brincou.

As autoridades francesas chegaram a comunicar por escrito ao consulado espanhol em Paris a morte de Alberto Pardo Touceda, natural de Pontevedra, mas a morar em França desde 2012. A polícia espanhola foi então a casa da mãe de Alberto comunicar o falecimento do filho.

Foi o dia mais mais triste e mais feliz da vida dos pais de Alberto pardo, escreve o El País. Depois de falar com o filho ao telefone, Pilar Touceda disse, aliviada: "estou a desfazer o enterro do meu filho".

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.