sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Identificados autor do plano e dois dos bombistas suicidas de Paris

As autoridades francesas identificaram o suspeito da autoria do plano dos atentados de Paris como Abdelhamid Abaaoud. Dois dos bombistas suicidas foram também identificados como Ahmad Al Mohammad e Samy Amimour. Um deles já tinha sido acusado de terrorismo em 2012.

© Christian Hartmann / Reuters

De acordo com uma fonte ligada à investigação citada pela Associated Press, Abdelhamid Abaaoud, considerado o "cérebro" dos ataques de sexta-feira que fizeram pelo menos 129 mortos.

Abaaoud está relacionado com o ataque num comboio de alta velocidade com destino a Paris, frustrado por dois soldados norte-americanos, e com um outro ataque contra uma igreja. O suspeito estava também ligado a dois homens mortos numa operação antiterrorista em janeiro, em Verviers, Bélgica.

Abaaoud, que também usa o nome de Abu Omar al Baljiki, é de origem marroquina e as autoridades pensam que de momento se encontra na Síria.

Mais dois bombistas suicidades identificados

As autoridades francesas anunciaram que Samy Amimour foi um dos homens-bomba no Bataclan. Nascido a 15 de outubro de 1987 em Paris, morava no subúrbio norte-oriental da Drancy.

De acordo com os procuradores, Amimour foi acusado numa investigação de terrorismo em 2012. Foi então colocado sob vigilância, mas saiu do radar e foi objecto de um mandado de captura internacional. Segundo a família, citada pela France Press, este na Síria em 2013.

Três elementos do agregado familiar de Amimour estão sob custódia.

Al Mohammad fez-se explodir junto ao Stade de France. Nasceu a 10 de setembro de 1990, em Idlib, Síria, se se confirmar a autenticidade do passaporte encontrado perto do seu corpo. A procuradoria indica que as impressões digitais do atacante coincidem com as de alguém que passou pela Grécia em outubro.

As emissoras RMC e BFM TV noticiaram, entretanto, ter sido identificado um quarto terrorista suicida, Salim, de 29 anos e natural de Paris. Este jihadista - do qual ainda não foi divulgado o apelido - foi outro dos que acionou o colete de explosivos no Bataclan.

As autoridades já tinham identificado Ibrahim Abdelslam, irmão do homem mais procurado em França, Salah, suspeito de ter integrado os comandos jihadistas que cometeram os massacres de Paris, e irmão também de Mohamed, detido no sábado em Bruxelas.

O primeiro dos autores dos ataques de Paris a ser identificado pela polícia, Ismael Omar Mostefai, é alegadamente filho de uma portuguesa e de um argelino, noticiou no domingo o New York Times, citando o presidente da câmara de Chartres. Mostefai foi um dos atacantes do Bataclan.

Com Lusa

  • "PCP não é força de suporte do Governo"
    2:11

    País

    Ao segundo dia de congresso comunista, ouviu-se o aviso mais forte, até agora, ao PS. João Oliveira, líder parlamentar do partido, diz que o PCP não se diluiu e que não é suporte do Governo. Já Jerónimo de Sousa deixou elogios à excelente geração de jovens que estão na frente política do PCP.

  • Passos elogia escolha de Paulo Macedo mas diz que não é suficiente
    1:47

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho diz que Paulo Macedo é competente para liderar os destinos da Caixa Geral de Depósitos, mas que a nomeação do antigo ministro não é suficiente para passar uma esponja sobre o assunto. Em Viseu, o líder do PSD não quis ainda avançar com um nome para a Câmara de Lisboa, depois de Santana Lopes afastar a hipótese de se candidatar.

  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.