sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Terrorismo não pode confundir-se com migrações, alerta Mogherini

A chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Federica Mogherini, disse hoje que a a questão do terrorismo não pode confundir-se com a das migrações, salientando que a resposta é política e cultural.

OLIVIER HOSLET

"A única maneira de combater o terrorismo é juntarmo-nos, essa é a nossa força, e não ter medo da diversidade", disse Mogherini, em conferência de imprensa no final de uma reunião dos ministros dos Negócios Estrangeiros da UE.

Ao mesmo tempo, alta representante para a Política Externa e Segurança da UE esclareceu que a França ainda não apresentou qualquer pedido especial de apoio aos seus parceiros europeus.

"A resposta ao terrorismo é política e cultural", assinalou, acrescentando que "o medo da diversidade é o que pode destruir as nossas sociedades".

Mogherini sublinhou também que "a questões das migrações não deve ser confundida com terrorismo", o que deve ficar "muito claro".

Todos os terroristas identificados até agora no âmbito dos atentados em Paris, salientou "são europeus", adiantando que esta realidade pode ser alterada.

A questão dos atentados terroristas continuará a ser debatida na terça-feira, na reunião do Conselho de ministros da Defesa da UE em que participará também o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg.

O grupo extremista Estado Islâmico reivindicou no sábado, em comunicado, os atentados de sexta-feira em Paris, que causaram pelo menos 129 mortos, entre os quais dois portugueses.

De acordo com o último balanço feito pelos hospitais, das 415 pessoas que foram atendidas nos hospitais após os ataques, pelos menos 42 feridos continuavam no domingo à tarde em vigilância intensiva em unidades de reanimação.

Os ataques, perpetrados por pelo menos sete terroristas, que morreram, ocorreram em vários locais da cidade, entre eles uma sala de espetáculos e o Stade de France, onde decorria um jogo de futebol entre as seleções de França e da Alemanha.

A França decretou o estado de emergência e restabeleceu o controlo de fronteiras na sequência daquilo que o Presidente François Hollande classificou como "ataques terroristas sem precedentes no país".

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.