sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Novo ataque aéreo francês na Síria

A aviação francesa voltou a bombardar, esta noite, o principal reduto do grupo extremista Estado Islâmico (EI) no norte da Síria, destruindo um centro de comando e um centro de treino, anunciou o Estado-maior das forças armadas de França.

© Charles Platiau / Reuters

"As forças armadas francesas levaram a cabo, pela segunda vez no espaço de 24 horas, um raide aéreo contra o Daesh [acrónimo do Estado Islâmico em árabe] em Raqqa, na Síria", informou o Estado-maior, em comunicado.

A aviação francesa tinha já na madrugada de segunda-feira realizado bombardeamentos contra a cidade de Raqqa, em resposta a vários atentados terroristas em Paris na noite de sexta-feira, e nos quais morreram pelo menos 129 pessoas e mais de 400 ficaram feridas.

O ataque, efetuado às 00:30 em Lisboa (01:30 em França), foi realizado por "dez aviões caça - Rafale e Mirage 2000 - a partir dos Emirados Árabes Unidos e da Jordânia", os quais lançaram 16 bombas, numa missão semelhante à realizada na madrugada de segunda-feira.

"Os dois alvos foram atacados e destruídos em simultâneo", refere o comunicado.

"Conduzido em coordenação com as forças norte-americanas, o raide visou locais identificados durante missões de reconhecimento previamente realizadas pela França", segundo o mesmo texto.

O Presidente francês François Hollande anunciou que a resposta de França seria "implacável" após os atentados de sexta-feira, os mais sangrentos cometidos em território francês.

Os atentados de Paris foram reivindicados pelo grupo extremista que se autodesigna Estado Islâmico.

Desde os atentados de sexta-feira, Estados Unidos e França decidiram aumentar as suas trocas de reconhecimento sobre potenciais alvos.

A França vai intensificar as suas operações contra o Estado Islâmico na Síria graças às informações obtidas e à deslocação do porta-aviões Charles-de-Gaulle, que vai triplicar a sua capacidade de realizar ataques.

Com Lusa

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.