sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Macedónia e Grécia estariam a investigar "rota seguida por dois terroristas"

Um dos bombistas suicidas dos atentados de Paris pode ter viajado com um cúmplice através dos Balcãs para a Europa Ocidental, depois de ter entrado na Grécia como refugiado sírio, avançou à agência Reuters fontes dos serviços secretos da Macedónia.

O homem, que se fez explodir perto do Stade de France foi, pelo passaporte sírio encontrado perto de seu corpo, identificado como sendo Ahmad al-Mohammad, de 25 anos, oriundo de Idlib, a sudoeste de Aleppo, mas confirmar a identidade deste bombista suicida tornou-se um dos grandes objetivos dos investigadores franceses

O homem, que se fez explodir perto do Stade de France foi, pelo passaporte sírio encontrado perto de seu corpo, identificado como sendo Ahmad al-Mohammad, de 25 anos, oriundo de Idlib, a sudoeste de Aleppo, mas confirmar a identidade deste bombista suicida tornou-se um dos grandes objetivos dos investigadores franceses

© Gonzalo Fuentes / Reuters

As autoridades da Grécia avançaram no domingo que Mohammad não viajaria acompanhado, mas uma fonte dos serviços secretos da Macedónia disse à agência Reuters que decorria uma "mega-investigação nos Balcãs para encontrar a rota seguida por dois terroristas".

Esta fonte, que recusou divulgar a identidade, indicou que a Macedónia estava a coordenar esta operação em articulação com a Grécia, e que a investigação tinha revelado que Mohammad estava acompanhado quando comprou o bilhete de ferry para Pireus, próximo de Atenas.

O atacante pode ter chegado a Paris mais facilmente do que o esperado pois, no auge da crise migratória na Europa, foi dada prioridade aos requerentes de asilo, ironicamente com o objetivo de evitar a entrada de eventuais militantes jihadistas.

O homem que se fez explodir perto do Stade de France foi, pelo passaporte sírio encontrado perto de seu corpo, identificado como sendo Ahmad al-Mohammad, de 25 anos, oriundo de Idlib, a sudoeste de Aleppo. Confirmar a identidade deste bombista suicida tornou-se um dos grandes objetivos dos investigadores franceses, nomeadamente com a importância de verificar a autenticidade do passaporte.

O Ministério Público francês mostrou, desde o primeiro momento, dúvidas quanto à autenticidade do documento. A foto foi divulgada na conta oficial de Twitter da polícia francesa, com o texto: "Este indivíduo é o autor falecido de um dos atentados cometidos a 13 de novembro no Stade de France".

As impressões digitais constantes do passaporte coincidem, no entanto, com as do suicida, pelo que os investigadores puderam seguir o rasto da sua entrada na Europa: "fê-lo a 3 de outubro, juntamente com um grupo de refugiados, pela ilha grega de Leros", divulgaram as autoridades.

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.