sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Salah Abdeslam detido em fevereiro na Holanda por posse de cannabis

Salah Abdeslam, alvo de um mandado de captura internacional por ser um dos suspeitos da organização dos atentados em Paris, foi detido em fevereiro, na Holanda, por posse de cannabis, anunciou quarta-feira a polícia holandesa.

"Apelo a testemunhas", lê-se na nota, que identifica "Abdeslam Salah, nascido a 15 de setembro de 1989, em Bruxelas, e alvo de um mandado de busca".

"Apelo a testemunhas", lê-se na nota, que identifica "Abdeslam Salah, nascido a 15 de setembro de 1989, em Bruxelas, e alvo de um mandado de busca".

"Ele foi preso durante uma operação de rotina no início de fevereiro", disse à AFP um porta-voz da polícia holandesa, dizendo que uma quantidade "limitada" de cannabis tinha sido encontrada durante uma busca à sua viatura.

Salah Abdeslam poderia, contudo, prosseguir a sua viagem depois de pagar uma multa de 70 euros, referiu a polícia. Seguia acompanhado por um dos seus irmãos e outra pessoa, em direção a sul, num carro registado na Bélgica.

A polícia não especificou se o irmão de Salah Abdeslam que o acompanhava era Mohamed Abdeslam, detido no início desta semana na Bélgica para interrogatório e posteriormente libertado. Nessa altura, Mohamed fez um apelo ao irmão para que se entregue às autoridades.

As autoridades belgas procuram agora um alegado terrorista que terá fabricado os cintos de explosivos que foram acionados pelos atacantes nos atentados de sexta-feira, em Paris, informou hoje o grupo de jornais Mediahuis. Trata-se de um homem identificado como Mohamed K, nascido nas Antilhas, e que vivia em Roubaix, no norte de França.

A justiça francesa acredita que Mohamed K esteve em contacto, durante e depois dos atentados, com Salah Abdeslam, que terá também alugado veículos registados na Bélgica, usados na operação terrorista de sexta-feira passada, em Paris, que provocou 129 mortos e mais de 400 feridos.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Metade dos moradores de Sandinha recusaram sair das casas
    3:14
  • Habitantes de Várzeas tentam regressar à normalidade
    2:48
  • Corpos da tragédia em Pedrógão guardados em camião de alimentos
    8:11

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Duarte Nuno Vieira, médico legista, esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, para comentar o que já foi feito e o que falta fazer em Pedrógão Grande, depois de ter sido atingido pelos incêndios. O presidente do Conselho Europeu de Medicina Legal defendeu que guardar os corpos das vítimas mortais num camião de alimentos foi uma "maneira de solucionar o problema da forma possível", visto que não há espaço no Instituto Nacional De Medicina Legal.

  • Trump volta a garantir que não tentou interferir na investigação do FBI
    0:17

    Mundo

    O Presidente dos EUA reitera que não tentou interferir na investigação do FBI em relação às alegadas interferências da Rússia nas eleições presidenciais. Questionado sobre as gravações das conversas que manteve com o ex-diretor da polícia de investigação, James Comey, Donald Trump prometeu esclarecimentos num futuro breve.

  • "A informação pode ter saído depois da hora do exame de Português"
    1:19

    País

    O presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais diz que é preciso aguardar pelas conclusões do relatório sobre a alegada fuga de informação do exame nacional de Português. Jorge Ascensão defende que a investigação deve causar o mínimo de impacto aos alunos que realizaram a prova.