sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

"Dispositivo reforçado" de segurança no Real-Barcelona

A polícia espanhola garantiu hoje que irá contar com um "dispositivo reforçado" de 2.500 efetivos para o jogo de futebol de sábado entre Real Madrid e FC Barcelona, a disputar no Santiago Bernabéu, em Madrid.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Susana Vera / Reuters

"Um Real Madrid-Barça é sempre um jogo de risco, pela quantidade de pessoas que mobiliza e pela intensidade com que vivem o futebol", esclareceu o diretor-geral da polícia e num momento em que Espanha está em nível 4 de alerta antiterrorismo.

Uma situação que, segundo o responsável, "reforçou o dispositivo em relação ao que se faz habitualmente".

As operações contarão com 2.500 efetivos, entre os quais mais de mil polícias nacionais, elementos dos serviços de emergência, polícia municipal e segurança privada.

"Tenho muita confiança na eficácia desse dispositivo, que nos vai permitir ter garantias de segurança e normalidade no decorrer do jogo. Eu mesmo, que não ligo muito a futebol, tenciono assistir ao jogo", acrescentou Ignacio Cosidó.

O diretor das forças de segurança esclareceu, no entanto, não poder dar garantias de segurança absoluta, lembrando que "a ameaça é muito real", mas que "não se pode deixar que os terroristas levem a melhor".

Cosidó apelou também à colaboração da imprensa, alertando que "existe muito ruído e falsos alarmes a circularem nas redes sociais".

Entretanto, também o ministro espanhol do interior, falou na segurança para o 'clássico', dizendo que haverá controlo apertado, não apenas no acesso ao estádio, mas nas suas imediações e transportes.

O reforço de segurança prende-se com os atentados de sexta-feira em Paris, que provocaram a morte de, pelo menos, 129 pessoas, e mais de 350 feridos, embora o ministro Jorge Fernandez Diaz entenda que para já não há razão para adiar o jogo.

"Se essas circunstâncias surgirem estará sempre em primeiro lugar a vida das pessoas", esclareceu.

Lusa

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.