sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Recolher obrigatório imposto numa cidade no centro de França

O recolher obrigatório foi imposto, pela primeira vez em dez anos, numa pequena cidade no centro de França, Sens, em virtude do estado de emergência decretado após os atentados de 13 de novembro em Paris.

(arquivo)

(arquivo)

© Benoit Tessier / Reuters

A medida, que impede a circulação entre as 22:00 e as 06:00, abrange todos os moradores de um bairro sensível desta cidade, com cerca de 25 mil habitantes, e foi instaurado após a apreensão de armas e documentos falsos na noite passada.

No âmbito do estado de emergência, os autarcas têm a possibilidade de "interditar a circulação de pessoas ou veículos" em certos locais ou a determinadas horas. Esta medida não era utilizada desde os tumultos urbanos em 2005.

Após os ataques de jihadistas que fizeram 130 mortos em Paris - de acordo com um balanço mais recente -, perto de 800 investigações foram realizadas, segundo o ministro do Interior. O primeiro-ministro revelou que 157 pessoas ficaram em prisão domiciliária.

A operação policial incidiu particularmente na mesquita Sunnah em Brest (oeste), indicou a autarquia local. É nesta mesquita que exerce o imã salafista Rachid Abou Houdeyfa, que surge nos vídeos sobre os fundamentalistas que têm sido repetidamente divulgados nas redes sociais.

Hoje de manhã, a casa e um carro de um primo de Fabien Clain, o jihadista cuja voz surge no vídeo que reivindica os ataques do grupo extremista Estado Islâmico, também foram alvo de uma operação policial, em Orne, oeste de Paris, tendo sido encontradas "várias armas".

Na quarta-feira, um homem "suspeito de apoiar o movimento islamista radical", residente em Feyzin, na região de Lyon (centro-leste), foi detido após a descoberta no seu domicílio de um "arsenal de guerra", incluindo um lança-foguetes, de acordo com uma fonte judicial.

As operações administrativas, sem passar pela autoridade judiciária, são possíveis pelo estado de urgência, que será prolongado por três meses.

Lusa

  • Desconhece-se a identidade do terceiro corpo encontrado em Saint-Denis
    2:52

    Ataques em Paris

    O ataque das forças policiais francesas há dois dias em Saint Denis fez três mortos. Entre eles está o cérebro de todas as operações. Também uma prima de Abdelhamid Abaoud. Não se sabe a identidade do terceiro. Numa altura em que continuam as buscas para se encontrar Sala Abdeslamn, o presumível terrorista que continua a monte desde a semana passada.

  • Controlo das fronteiras na UE será reforçado
    1:42

    Ataques em Paris

    Os ministros do Interior da França e da Bélgica querem um reforço no controlo das fronteiras dentro da União Europeia e a criação de um sistema de registo de passageiros. São duas das medidas que estão hoje em discussão na reunião dos ministros do Interior e Administração Interna da União. O Parlamento Europeu não se tem mostrado disponível para discutir estas medidas mas os atentados de Paris podem alterar esta posição.

  • Mentor dos ataques de Paris recrutou combatentes em países europeus
    2:41

    Ataques em Paris

    O cérebro de toda esta operação, apesar de referenciado pelas autoridades europeias, e mesmo tempo um mandando de captura, conseguiu circular um pouco por toda a Europa. Na altura dos atentados em Paris, e apesar de se pensar que estava na Síria, estava afinal nos arredores da capital francesa. Terá recrutado homens e mulheres em Espanha e viajado para a Turquia com o consentimento das autoridades alemãs.

  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.