sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Sete dos oito detidos em Saint-Denis libertados hoje

Sete dos oito detidos na operação policial de Saint-Denis, no norte de Paris, foram hoje libertados pela polícia, divulgou a agência de notícias France Presse.

IAN LANGSDON/ EPA

Nessa operação, que aconteceu na quarta-feira, a polícia cercou e atacou um apartamento em que presumia que estava escondido o alegado "cérebro" dos atentados de Paris, Abdelhamid Abaaoud, tendo depois informado que esse homem morreu no assalto policial.

Nessa operação foram ainda detidas oito pessoas, que estavam no edifício do apartamento ou nas proximidades.

Sete dos detidos foram hoje libertadas, enquanto o oitavo, o homem que tinha emprestado o apartamento a Abaaoud, continua sob a guarda policial.

Esse homem chama-se Jawad Bendaoud e tinha dito à France Presse, pouco antes da detenção, que apenas tinha dado abrigo a duas pessoas "que vinham da Bélgica" e que "só queriam água e rezar".

Este homem tinha sido condenado em 2008 a oito anos de prisão, tendo sido libertado em 2013.

A sua detenção pode ser estendida até 144 horas ou seis dias de acordo com as regras de uma investigação terrorista sob ameaça iminente.

Uma semana depois dos ataques, os investigadores começam a ter uma ideia mais pormenorizada da composição dos três comandos, formados possivelmente uma dúzia de jihadistas, que mataram 130 pessoas em Paris e provocaram cerca de 350 feridos.

No entanto, o papel de um deles, Salah Abdeslam, permanece obscuro. Este homem, que as autoridades supõem que esteja na Bélgica, está a ser ativamente procurado.

O grupo extremista Estado Islâmico reivindicou a autoria dos ataques.

Lusa

  • Trabalharia horas extra sem ser pago? E feriados?  
    1:25
  • UE dá "luz verde" para início das negociações do Brexit

    Brexit

    Os 27 Estados-membros da União Europeia aprovaram esta segunda-feira a autorização para o início das negociações do Brexit, indicando formalmente o final de junho para início do processo de saída do Reino Unido, que se prolongará por dois anos.

  • Donald Trump em Israel
    2:14
  • Regras secretas do Facebook permitem divulgação de imagens violentas

    Mundo

    A política interna da empresa Facebook defende que nem todos os vídeos violentos publicados na rede social devem ser apagados porque "não quer censurar ou punir pessoas em perigo". A revelação é feita pelo jornal britânico The Guardian após uma investigação em que conseguiu ter acesso ao manual interno.