sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Polícia efetua operação antiterrorista no centro de Bruxelas

Unidades especiais da polícia belga estão a efetuar uma operação antiterrorista no centro de Bruxelas, nas proximidades da Grande Place, informaram hoje os jornais Le Soir e La Libre Belgique.

Reuters

Reuters

© Yves Herman / Reuters

Pouco depois das 18:00 (hora de Lisboa), a polícia recebeu ordem para estar preparada para uma operação que decorre no centro da capital, noticiou a agência EFE.

Várias testemunhas informaram nas redes sociais que foram aconselhadas a não se aproximar das janelas, enquanto a polícia bloqueava as ruas adjacentes.

De acordo com a cadeia RTL, os agentes da polícia e elementos do exército, fortemente armados, criaram um perímetro de segurança em redor da Grande Place, à qual não é possível aceder.

Ainda não são conhecidas mais informações sobre a operação, que decorre depois de o primeiro-ministro belga, Charles Michel, ter anunciado que se mantém na segunda-feira o nível de alerta máximo na região de Bruxelas porque as autoridades consideram que permanece uma "ameaça séria e iminente" de ataques terroristas.

Na segunda-feira todas as linhas de metro continuarão encerradas e as escolas da região de Bruxelas fechadas, o que se aplica também às universidades e escolas superiores, estando prevista uma nova avaliação da situação à tarde, precisou em conferência de imprensa Charles Michel.

Lusa

  • Português de 15 anos morre em estância de esqui em Espanha

    País

    Um jovem português morreu esta quarta-feira numa estância de esqui, em Espanha. O rapaz de 15 anos queixou-se de dores de cabeça e foi transportado para a Unidade de Cuidados de Saúde da Estância de Esqui, onde acabou por morrer.

    Em desenvolvimento

  • Europa num clima de tensão parecido ao dos anos que antecederam a 2.ª Guerra Mundial
    2:18

    Mundo

    O populismo e a demonização do outro estão a conduzir a Europa a um clima de tensão semelhante ao dos anos que antecederam a 2.ª Guerra mundial. A conclusão é do relatório anual da Amnistia internacional, que denuncia ainda que 2016 foi um ano de "implacável miséria e medo" para milhões de pessoas. Embalados pelo discurso do medo, vários governos recuaram nos direitos humanos.