sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Bélgica emite mandado de captura internacional contra Abrini Mohamed

A Justiça belga emitiu um mandado de captura internacional contra Abrini Mohamed, de 30 anos, identificado na companhia de Salah Abdeslam dois dias antes dos atentados de dia 13 em Paris, anunciou esta terça-feira a procuradoria.

AP

A procuradoria anunciou também ter acusado um quinto homem, que não foi identificado, por "assassínios terroristas", elevando para cinco o número de pessoas detidas durante a semana na Bélgica.

Mohamed Abrini, considerado suspeito chave pelas autoridades, foi filmado a 11 de novembro num posto de abastecimento de combustível ao volante de uma viatura que foi usada dois dias depois para cometer os ataques em Paris.

Descrito como "perigoso e possivelmente armado", o homem está a ser procurado pelos serviços de segurança belgas e franceses.

Lusa

  • Detidas mais cinco pessoas em Bruxelas
    2:39

    Ataques em Paris

    Bruxelas acordou para o terceiro dia consecutivo em alerta máximo. Na capital da Bélgica vive-se um cenário de guerra. Durante a noite foram feitas 19 operações policiais das quais resultaram 16 detenções mas o suspeito mais procurado, Salah Abdeslam, continua a monte. Já esta manhã foram detidas mais cinco pessoas.

  • Bruxelas continua a meio gás mas há mais pessoas na rua
    2:05

    Mundo

    A capital da Bélgica continua em alerta máximo de terrorismo. Apesar de muitos serviços e transportes ainda estarem encerrados em Bruxelas, a população já saiu mais à rua hoje e parece mais tranquila, como constatou a correspondente da SIC, Susana Frexes.

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras