sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Responsável pelos ataques preparava outro atentado ao bairro financeiro de Paris

Abdelhamid Abaaoud e outro terrorista morto durante o assalto da polícia francesa a um apartamento em Saint Denis na quarta-feira tencionavam cometer um atentado suicida no bairro financeiro de Paris, afirmou hoje o procurador de Paris, François Molins.

Uncredited

O assalto das forças da ordem era dirigido contra o belga Abdelhamid Abaaoud, considerado o cérebro dos atentados de Paris de 13 de novembro, dos quais resultaram 130 mortos e mais de 300 feridos.

Na sequência do assalto, Abaaoud morreu, bem como uma prima, Hasna Aitboulahcen, e um terceiro homem que se soube não estar registado pela polícia, depois de comparar o ADN com o Ficheiro Nacional Automático de Dados Genéticos (FNAEG, nas siglas en francês).

O atentado em La Defense deveria ter ocorrido no mesmo dia do assalto ao apartamento em Saint Denis ou no dia seguinte, afirmou Molins, em conferência de imprensa, sem dar mais detalhes, para além do facto de estarem de posse de dois coletes com explosivos.

O ADN de Abaaoud e o do outro homem, que ainda não foi identificado, estava nas espingardas 'kalachnikov' encontradas no carro do 'comando' que, no dia 13, fez vários ataques a tiro em bares e restaurantes a leste da Praça da República, em Paris, que causaram a morte a 40 pessoas e ferimentos a dezenas de outras.

O procurador assinalou que os elementos disponíveis indicam que o 'comando' era formado por aqueles dois e Brahim Abdeslam, que se fez explodir com um colete de explosivos pouco depois destes ataques, num bar da avenida Voltaire.

O irmão de Brahim, Salah Abdeslam, segundo os elementos compilados até agora pelos investigadores, conduziu os três terroristas suicidas que detonaram os cintos de explosivos nas redondezas do Estádio da França, quando se disputava a partida amigável entre as seleções francesa e alemã.

O seu ADN estava no Renault Clio, em particular na chave, que se acredita ter sido utilizado para conduzir aqueles três homens, e que apareceu abandonado nas proximidades do Estádio, no distrito XVIII de Paris.

Salah Abdeslam é objeto de uma ordem de busca e captura internacional emitida pela França.

Lusa

  • Morte de portuguesa no Luxemburgo afinal não aconteceu

    País

    A morte de uma portuguesa em Bettembourg, no sul do Luxemburgo, não terá acontecido. O Jornal do Luxemburgo avançou, esta manhã, que a emigrante portuguesa tinha sido baleada mortamente pelo filho, uma informação entretanto desmentida por outro jornal online. Segundo o Bom Dia Luxemburgo, o que aconteceu foi afinal uma rusga policial.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Ataques aéreos dos EUA em Mossul podem ter causado a morte de 200 civis
    1:22
  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.