sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Terroristas precisaram de 30 mil euros para ataques de Paris

O ministro das Finanças francês, Michel Sapin, afirmou hoje que quem organizou os atentados de 13 de novembro em Paris "não terá gasto mais do que 30 mil euros".

Um homem com a camisola manchada de sangue é acompanhado pela polícia após o ataque ao Bataclan, Paris, 13 novembro

Um homem com a camisola manchada de sangue é acompanhado pela polícia após o ataque ao Bataclan, Paris, 13 novembro

© Philippe Wojazer / Reuters

Numa conferência de imprensa em Paris, Sapin indicou que os financiadores de quem perpetrou os ataques entregaram diversas somas de valor reduzido que são difíceis de detetar, utilizando sobretudo cartões de crédito pré-pagos.

"O custo destes últimos ataques, o financiamento dos ataques, representam uma soma que não excede os 30 mil euros", garantiu, salientando que tal significa que os atacantes "não necessitaram de grandes quantias de dinheiro para os preparar".

A Unidade de Informações do Ministério das Finanças francês, a Tracfin, indicou que os cartões de crédito pré-pagos, alguns deles comprados na Bélgica, foram usados para pagar os carros e apartamentos utilizados pelos assaltantes nas 48 horas que precederam os ataques.

O ministro das Finanças francês adiantou que se pode tornar "crucial" para as investigações detetar mesmo pequenas verbas se estas forem alvo de uma reanálise de qualquer pormenor de uma investigação.

Lusa

  • Daesh transforma drones em bombardeiros 

    Daesh

    As estratégias de combate do Daesh têm vindo a sofrer alterações, bem como a capacidade das forças militares iraquianas para confrontar e derrotar o inimigo. De acordo com o responsável do Exército dos EUA Brett Sylvia, comandante militar no Iraque, a tática mais recente desenvolvida pelo Daesh consiste em usar drones de uso comercial em pequenos bombardeiros, capazes de transportar e lançar granadas.

  • PSD e CDS têm caminhos diferentes
    1:22

    País

    Assunção Cristas já respondeu a Pedro Passos Coelho, depois de o líder do PSD ter recusado apoiar a candidatura da líder do CDS à Câmara de Lisboa. Cristas diz que os dois partidos têm caminhos diferentes. O PSD continua sem apresentar candidato. Contudo, Marques Mendes revelou que Passos Coelho convidou José Eduardo Moniz a candidatar-se à Câmara de Lisboa.