sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Tribunal belga determina detenção de suspeito dos atentados de Paris por mais 3 meses

Lazez Abraimi, um dos suspeitos de envolvimento nos atentados de Paris de 13 de novembro, ficará detido, por mais três meses, informou o seu advogado citando uma decisão hoje pronunciada por um tribunal de Bruxelas.

Reuters/Arquivo

Reuters/Arquivo

© Philippe Wojazer / Reuters

Já o nono suspeito, Abdoullah C., detido na terça-feira, irá comparecer novamente perante um tribunal de primeira instância da capital belga a 07 de janeiro, segundo o Ministério Público.

Os advogados dos dois suspeitos dos ataques, que provocaram 130 mortos, tinham pedido a sua libertação.

Abdoullah C., 30 anos e nacionalidade belga, foi detido na terça-feira durante uma operação policial na zona Norte de Bruxelas e permaneceu na prisão, por ordem de um juiz de instrução, sob as acusações de participação em atentados terroristas e em atividades de um grupo terrorista.

O homem é suspeito de manter vários contactos com Hasna Ait Boulahcen, prima do presumível 'cérebro' dos atentados de Paris, Abdelhamid Abaauoud.

Lazez Abraimi é suspeito de transportar Salah Abdeslam, envolvido nos atentados e ainda a monte, por Bruxelas, a 14 de novembro ou depois. O homem tem negado veemente qualquer ligação.

Os contactos terão acontecido nos dias seguintes aos ataques e antes da operação das forças de ordem francesas em Saint-Denis, que resultaram na morte de Hasna e Abdelhamid.

A notícia de uma nova detenção foi divulgada hoje pelo Ministério Público belga.

Na tradicional mensagem de Natal, o rei da Bélgica apelou hoje aos seus compatriotas para que "não se deixem intimidar" nem se "dividam" face à ameaça terrorista.

"Face à ameaça do terrorismo, as nossas autoridades reagiram com calma, rapidez e determinação", notou o monarca, reportando-se aos vários dias de alerta máximo, no final de novembro, em Bruxelas.

Philippe evocou os "compatriotas de origem estrangeira" e sublinhou serem "filhos e filhas" do país.

"Não devemos confundir os que abusam da sua religião, com os que a praticam dentro do respeito dos valores universais da humanidade", acrescentou o rei, pedindo "tolerância zero contra os discursos de ódio.

Lusa

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • O momento em que Trump quis ser um camionista

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump reuniu-se esta quinta-feira com representantes da indústria de camionagem. Não é apenas do encontro que lhe falamos, mas principalmente da invulgar receção feita por Trump, que entrou para um camião, fingiu que o conduzia e buzinou... em pleno jardim da Casa Branca.

  • FBI investiga possível campanha de espiões russos contra Hillary
    0:57

    Mundo

    A suspeita de ligação entre a equipa de Donald Trump e operacionais russos está a aumentar. A CNN diz que a equipa do Presidente do Estados Unidos da América se coordenou com os russos para atingir Hillary Clinton. O FBI está a investigar registos telefónicos, de viagens, relatórios e transações para offshores.

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa para receber dois beijos. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.