sicnot

Perfil

Ataques em Paris

"Nenhuma ameaça fará a França duvidar"

"Nenhuma ameaça fará a França duvidar"

O Presidente francês, François Hollande, assegurou hoje que "nenhuma ameaça fará a França duvidar", após a difusão de um vídeo do grupo extremista Estado Islâmico em que apresenta, alegadamente, os autores dos atentados de Paris.

"Nada nos assusta, nenhuma ameaça fará a França duvidar em relação ao que tem de fazer para combater o terrorismo", disse o chefe de Estado aos jornalistas à margem de uma cerimónia oficial em Nova Deli, Índia.

"Essas imagens não fazem mais do que desqualificar os autores destes crimes", acrescentou.

"Se tomei medidas para prolongar o estado de emergência foi porque sei que esta ameaça existe e que nós não cederemos em nada, nem em relação aos meios para defendermos o nosso país nem às liberdades", indicou Hollande.

Os alegados autores do atentado de 13 de novembro tratam-se, segundo o vídeo divulgado pelo centro de propaganda do EI, Al-Hayat, de quatro belgas, três franceses e dois iraquianos que cometem atrocidades contra pessoas apresentadas como reféns.

Exprimindo-se em árabe e francês, alguns destes elementos afirmam que a sua "mensagem se dirige a todos os países que participam na coligação" 'antijihadista' liderada pelos Estados Unidos, que luta contra o Estado Islâmico na Síria e no Iraque desde setembro de 2014.

O vídeo mostra um retrato do primeiro-ministro britânico, David Cameron, acompanhado de uma frase em inglês: "Quem estiver do lado dos infiéis será o alvo das nossas espadas". A gravação descreve os 'jihadistas' como "leões" que meteram "a França de joelhos".

As imagens contêm igualmente excertos que mostram os atentados de Paris e as operações das forças de segurança francesas após os ataques.

Com Lusa

  • Governo garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo de ajuda alimentar
    1:18

    País

    O ministro da Solidariedade e Segurança Social garante que Portugal não desperdiçou nenhum fundo europeu de ajuda alimentar. Vieira da Silva respondeu, esta manhã, à notícia avançada pelo Jornal de Notícias que dava conta de que, este ano, o país teria desperdiçado 28 milhões de euros de um fundo europeu porque o programa ainda não está operacional.