sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Eagles of Death Metal retomam hoje digressão internacional após atentados de Paris

O grupo rock norte-americano Eagles of Death Metal retoma hoje, em Estocolmo, na Suécia, a digressão europeia, que foi interrompida em novembro, em Paris, quando atuava no Bataclan, um dos espaços atingidos pelos ataques terroristas.

Originária de Palm Street, sul da Califórnia, a banda tem dois elementos principais (Jesse Hughes, 43 anos, e Josh Homme, 42 anos), que são conhecidos pelo seu humor e pelo espírito "sexo, drogas e rock and rol". (Arquivo)

Originária de Palm Street, sul da Califórnia, a banda tem dois elementos principais (Jesse Hughes, 43 anos, e Josh Homme, 42 anos), que são conhecidos pelo seu humor e pelo espírito "sexo, drogas e rock and rol". (Arquivo)

Barry Brecheisen / AP

De acordo com a página oficial da banda, na Internet, a digressão é retomada hoje, na capital sueca, quando passam três meses sobre os ataques, e passará pelo Olympia de Paris, no próximo dia 16, e pelo Coliseu de Lisboa, a 05 de março, cidade onde o concerto esteve inicialmente agendado para 10 de dezembro.

Os Eagles of Death Metal "regressam à Europa para fazer as datas da digressão que foi adiada, incluindo um regresso a Paris que será certamente emotivo", afirmaram os músicos em comunicado.

Os espectadores que estavam a 13 de novembro no Bataclan, na capital francesa, terão direito a entrada gratuita, no concerto de dia 16, no Olympia, sublinham.

As etapas europeias, depois do concerto de hoje, em Estocolmo, estendem-se até 07 de março, e passam por Oslo, Paris, Munique, Zagreb, Budapeste, Viena, Zurique, Bruxelas, Treviso, Turim, Roma, Nimes, Barcelona, Madrid, Lisboa e Lille.

A 09 de março, a banda norte-americana inicia, em Bogotá, na Colômbia, uma digressão americana, que irá de São Paulo, Brasil, a Buenos Aires, Argentina, e Santiago do Chile.

O percurso pelo continente americano será interrompido para concertos na Austrália e na Nova Zelândia, de 22 a 29 de março, antes das atuações em diferentes cidades do Canadá e dos Estados Unidos, que se estenderão de 26 de abril a 03 de junho.

De 09 a 21 de agosto, os Eagles of Death Metal regressam à Europa para atuarem em cidades da Holanda, Alemanha, Noruega, Dinamarca e Polónia.

No dia 13 de novembro de 2015, o grupo atuava no Bataclan, perante cerca de 1.500 espectadores, quando um comando de "jihadistas" entrou na sala de espetáculos e abriu fogo indiscriminadamente, matando 90 pessoas, entre as quais o agente comercial da banda, Nick Alexander, e três membros da produtora.

No início de dezembro, cerca de um mês após os atentados, os músicos do grupo de rock norte-americano regressaram a Paris e depositaram uma coroa de flores em frente à sala de espetáculos Bataclan, para homenagear os 90 mortos no ataque terrorista.

A banda também atuou num dos concertos que os U2 deram então na capital francesa.

Os atentados de 13 de novembro do ano passado, em Paris, foram reivindicados pelo grupo terrorista, autodenominado Estado Islâmico (EI), e causaram 130 mortos e mais de 350 feridos.

Lusa

  • PJ faz buscas no Benfica sobre o caso dos emails

    Desporto

    A Polícia Judiciária está a fazer buscas em instações no Benfica devido ao caso dos emails divulgado pelo diretor de comunicação do FC Porto, Francisco J. Marques. Contactado pela SIC, o clube da Luz disse primeiro desconhecer a ação, mas mais tarde confirmou a presença da PJ.

    Em atualização

  • Governo prepara pacote de medidas para matas ardidas

    País

    O Governo vai preparar um pacote de medidas para as matas nacionais afetadas pelos incêndios, que passa pela elaboração de um relatório de ocorrências, por um programa de intervenção e pela aplicação da receita da madeira nessas matas.

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • Acabou o estado de graça

    Sá Carneiro dizia que qualquer Governo tem direito a um estado de graça de 100 dias. E que, depois disso, já não tem margem para deitar culpas ao Governo anterior. O discurso de Marcelo, no terreno, junto das vítimas, e não na torre de marfim de Belém, marca o tal "novo ciclo" que o Presidente há muito tinha anunciado, com data marcada: depois das autárquicas.

    Pedro Cruz

  • "O primeiro-ministro falhou em toda a linha"
    4:36

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares não acredita que a ministra da Administração Interna se despediu: "ela foi demitida pela Presidente ontem à noite publicamente". No Jornal da Noite, esta quarta-feira, o comentador da SIC declarou que o primeiro-ministro "falhou em toda a linha" e questionou se António Costa tinha a "coragem política de fazer o que é preciso". Sobre os incêndios, Miguel Sousa Tavares disse ainda que o maior problema não era haver reacendimentos, mas sim "não serem logo apagados e propagarem-se".

    Miguel Sousa Tavares

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07
  • Leiria perdeu 80% do Pinhal nos incêndios
    1:51
  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51
  • "O povo exige um novo ciclo"
    1:10

    Tragédia em Pedrógão Grande

    A Associação de Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande exige que o primeiro-ministro faça um pedido de desculpas público às famílias das vítimas dos incêndios. A Presidente da Associação pede ainda a demissão do comando da Autoridade Nacional de Proteção Civil. Após a reunião desta quarta-feira com António Costa, Nádia Piazza anunciou que o Governo assume as mortes de junho passado e chegou a acordo com os familiares das vítimas.

  • Há um novo livro de Astérix

    Astérix

    Dois anos depois do último álbum, chega hoje às livrarias a 37ª aventura de Astérix. Em "Astérix e a Transitálica", os gauleses rumam à Península Itálica.