sicnot

Perfil

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Ataques em Paris

Polícia de Paris vai passar a estar equipada com metralhadoras

A polícia parisiense será equipada com metralhadoras e escudos resistentes a tiros de Kalashnikov, uma novidade, quase quatro meses depois dos atentados terroristas de 13 de Novembro que vitimaram 130 pessoas.

arquivo reuters

Este tipo de armas, até agora reservadas às forças de intervenção de elite, permitirão aos elementos de algumas unidades policiais "intervir o mais rapidamente possível para reforçar as primeiras patrulhas, sobretudo quando confrontadas com assassínios em massa", disse o ministro, Bernard Cazeneuve.

"Alguns dos criminosos com que nos confrontamos já não hesitam em utilizar armamento pesado contra vós, e vós tendes de estar equipados com os meios para ripostar, e com proteção adequada", disse Cazeneuve aos agentes policiais numa esquadra parisiense.

Às unidades anticrime da polícia (BAC), que muitas vezes operam com roupas simples, sem equipamento especial, serão distribuídas metralhadoras 204 Heckler and Koch G36, cerca de 1.800 coletes à prova de bala e 241 escudos resistentes a balas de Kalashnikov.

O novo equipamento, que também inclui armas de atordoamento e outros itens, tem um valor estimado em 17 milhões de euros.

O investimento nos meios policiais ocorre depois de jihadistas armados com Kalashnikov e bombistas suicidas terem atacado uma sala de concertos durante um espetáculo e alguns restaurantes e cafés em vários pontos da cidade de Paris, a 13 de Novembro de 2015, fazendo 130 mortos e centenas de feridos.

Um elemento das brigadas policiais anticrime, armado apenas com uma pistola, foi o primeiro a chegar à sala de concertos Bataclan, onde matou um dos jihadistas responsáveis pela morte de 90 pessoas.

Contudo, viu-se obrigado a sair do local e aguardar por agentes policiais especializados, porque não estava suficientemente bem equipado para enfrentar os dois terroristas ainda vivos no edifício.

O ataque devastador levou as autoridades a instaurar o estado de emergência, que foi prolongado até ao fim do mês de maio.

Lusa

  • Marcelo já sabia da substituição do embaixador de Angola
    4:00

    País

    O Presidente da República sabia há bastante tempo da substituição do embaixador de Angola em Lisboa e já tinha aprovado o nome do futuro representante de Luanda. A revelação foi feita, esta terça-feira, por Marcelo Rebelo de Sousa, numa conversa exclusiva com a SIC no Palácio de Belém. O Presidente contou ainda que não vai enviar recados ao Governo nem aos partidos no discurso de 25 abril que vai fazer na Assembleia da República.

    Exclusivo SIC

  • "O ministro não escondeu nem tapou"
    1:20

    Economia

    Pedro Santana Lopes falou pela primeira vez sobre a auditoria feita à Santa Casa no período em que foi provedor. Esta terça-feira, na SIC Notícias, Santana Lopes desvalorizou as irregularidades e defendeu o ministro do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social, Vieira da Silva.

    Pedro Santana Lopes

  • Constitucional chumba algumas normas da lei de barrigas de aluguer

    País

    O Tribunal Constitucional chumbou algumas normas do acórdão sobre as barrigas de aluguer. De acordo com o Expresso, a decisão já foi comunicada à Assembleia da República. A obrigatoriedade da regulamentação da lei ser feita pelo Parlamento e não pelo Governo terá sido unânime.

  • A história do bebé que continua a lutar pela vida depois de terem desligado as máquinas

    Mundo

    Alfie Evans sofre de uma doença cerebral degenerativa. A sua condição levou o caso à justiça e, depois de uma batalha judicial entre os pais e o hospital, os juízes determinaram que as máquinas do suporte artificial de vida fossem desligadas. Apesar de os aparelhos terem sido desligados na segunda-feira à noite, segundo os pais, a criança de 23 meses continua a lutar pela vida, respirando sozinha.

    SIC

  • O 10 de julho de 1941 na escrita de João Pinto Coelho
    15:09
  • Chegaram os brinquedos de cartão para a consola
    6:24
  • Marinha resgata 138 migrantes ao largo de Lampedusa

    País

    A fragata da Marinha portuguesa D. Francisco de Almeida resgatou esta terça-feira, ao largo da ilha de Lampedusa, em Itália, 138 migrantes, entre eles 15 mulheres e oito bebés, disse à Lusa fonte do Estado-Maior-General das Forças Armadas.

  • O recado de Donald Trump à Coreia do Norte 

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, exortou Pyongyang a eliminar todo o seu arsenal nuclear, precisando o que queria dizer exatamente ao apelar para a "desnuclearização" do regime totalitário, antes de uma aguardada cimeira com o líder norte-coreano.

  • O vestido de noiva de Megan Markle
    1:17